No Douro a ajuda bate à porta e veste a farda da GNR

Data:

Aos 85 anos e a viver sozinha, Fernanda Branco encontrou nos militares da GNR da Régua companhia, ajuda nas compras e até no pedido de isenção dos 110 euros que paga anualmente para atravessar a linha ferroviária.

Vive junto à linha de caminho de ferro do Douro e o único acesso à sua casa faz-se atravessando a ferrovia.

Já referenciada nos Censos Sénior da GNR, uma operação que se reinicia em todo o país e que visa sinalizar os idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, Fernanda Branco recebeu a visita da equipa da secção de policiamento comunitário do destacamento do Peso da Régua, no distrito de Vila Real, quando hoje também se assinala o Dia Internacional do Idoso.

Durante esta ação, acompanhada pelos jornalistas, a idosa contou que pela utilizada da passagem de nível paga, por ano, 110 euros, um valor que considera “muito elevado” para a sua reforma.

Confrontados com esta dificuldade, os militares da GNR contactaram a Segurança Social, a quem pediram para interceder junto da Infraestruturas de Portugal (IP), onde o pedido de isenção desta taxa está, agora, a ser analisado.

“Todos os anos, em janeiro ou fevereiro, vem a carta para pagar”, referiu, acrescentando que paga “logo” com medo que lhe “tapem a passagem”.

A casa, rodeada de árvores de fruta e com vista para o rio Douro, foi construída por Fernanda e o seu marido, retornados de Angola, e há mais de 30 anos que paga pela passagem pela linha.

Os familiares vivem no Porto e os vizinhos estão um “pouco distantes”, mas a idosa disse que quer continuar a viver aqui, onde tem o quintal para se distrair.

“Estou-lhes muito grata por tudo porque são muito humanos e estão sempre a visitar-me e a perguntar como eu estou. Não estou sozinha, estou acompanhada com os senhores da GNR”, afirmou Fernanda Branco.

A idosa foi identificada pelos militares durante a pandemia de covid-19, numa altura em que ficou sem apoio devido ao isolamento profilático de uma sua cuidadora, e os guardas Luís Nogueira e Ivone Borges ajudaram nas compras, em questões burocráticas, tiraram dúvidas e informaram.

Numa outra aldeia, os guardas recolheram informações por idosos que vivem sozinhos e isolados e foram bater à porta de José Silva, de 84 anos, que vive com a mulher de 82 anos.

Luís Nogueira e Ivone Borges recolhem os dados dos idosos, deixam os seus contactos telefónicos e a garantia de que, daqui para a frente, irão passar por ali.

José gostou desta visita e disse que, assim, se “sentem mais apoiados”. “Isto vale muito”, referiu.

Numa porta ao lado vive a sua irmã Maria Nazaré Silva, de 77 anos, uma funcionária pública reformada que regressou há 10 anos à terra natal. É também uma ajuda para o casal de octogenários e é ela, por exemplo, que lhes faz as compras.

“O objetivo da operação Censos Sénior é identificar idosos que têm situações de vulnerabilidade, ou seja, que vivem sozinhos e ou isolados”, afirmou a alferes Sandra Pacheco, comandante adjunta do destacamento do Peso da Régua.

Na edição de 2020, a Guarda sinalizou 42.439 idosos, dos quais 5.065 em Vila Real, o distrito do país com mais idosos identificados.

Sandra Pacheco explicou que se pretende sensibilizar e alertar para alguns tipos de crimes, como as burlas, para os cuidados a ter por causa da pandemia, e que a GNR atua como “elo de ligação” com outras entidades, tudo “com vista a garantir a segurança” dos mais velhos.

Na campanha 2021, que decorre durante o mês de outubro, a Guarda Nacional Republicana e o Instituto da Segurança Social estabeleceram um protocolo de colaboração com vista à promoção e divulgação do estatuto do cuidador informal.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.