SEL assina protocolo com a Universidade de Évora

Data:

A Salsicharia Estremocense (SEL) assinou um protocolo com a Universidade de Évora para a implementação das normas de bem-estar animal, segundo as normas de qualidade da Welfare Quality e AWIN na futura ampliação da empresa.

“O bem-estar animal nos matadouros tem vindo a assumir uma grande importância ética e económica. Assim, é importante o controlo nas operações envolvidas no processo de abate como transporte, descarga, repouso, encaminhamento, imobilização e atordoamento” pode ler-se no comunicado enviado pela empresa.

Sendo a linha de abate o último local de passagem do Porco Alentejano, é importante que este disponha de boas infraestruturas e que permita um bom maneio animal por parte dos operadores de forma a evitar o sofrimento, lesões e stress.

A SEL está a construir uma linha de abate de suínos de Porco Alentejano e este protocolo entre a universidade de Évora e a SEL irá servir como uma ajuda ao desenvolvimento de ambas as instituições, tal como oportunidades em projetos futuros.

Este protocolo terá a duração de três anos, e será prorrogado automaticamente por iguais períodos.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.