Exportações dos Vinhos do Alentejo sobem 20%

Data:

As exportações dos Vinhos do Alentejo cresceram 20% em valor e 14% em quantidade no primeiro semestre deste ano, face a período homólogo de 2020, revelou hoje a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).

Em comunicado enviado à agência Lusa, a CVRA indicou que, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), “as exportações de vinho alentejano cresceram 20% em valor, com 32 milhões de euros de receita gerada”, nos primeiros seis meses deste ano.

Os dados do INE mostram ainda que “cerca de 12 milhões de garrafas [foram] comercializadas para o mercado externo, o que se traduz em mais de nove milhões de litros exportados”, o que representa um aumento de 14%, em comparação com o primeiro semestre do ano transato.

“Também o preço médio por litro de vinho acompanhou a tendência de subida, com um aumento de 5%, para 3,48 euros por litro”, assinalou a CVRA.

Para o presidente da CVRA, Francisco Mateus, “este crescimento na primeira metade do ano é um sinal muito positivo dos valores” a que a região pode chegar este ano.

“Habitualmente, os segundos semestres são mais fortes na exportação”, lembrou, manifestando-se confiante de que 2021 possa vir a ser “o ano com melhores resultados, desde que há registo”.

Os números do primeiro semestre “superam os resultados atingidos pela região no período pré-pandémico”, ou seja, antes da pandemia de covid-19, congratulou-se a CVRA.

Estes resultados positivos são alavancados pelos mercados brasileiro (+34% em valor e +27% em litros), suíço (+16% em valor e +8% em litros), norte-americano (+7% em valor e -0,2% em litros) e do Reino Unido (+123% em valor e +85% em litros), disse.

O crescimento dos Vinhos do Alentejo também aconteceu, entre janeiro e junho, nos mercados asiáticos, “com a China a fechar o semestre em níveis pré-pandemia e um aumento de compras face a 2020 (+15% em valor e +13% em litros) e Macau a superar os resultados totais alcançados nos últimos dois anos (+227% em valor e +192% em litros)”, precisou.

Na sua análise aos dados, o presidente da comissão vitivinícola realçou o facto de o valor do vinho exportado ter subido mais do que a quantidade, o que resulta numa valorização do preço médio.

“No ‘top 10’ dos 89 mercados para onde se exportou, todos registaram subida no preço médio, o que demonstra que a qualidade dos vinhos alentejanos é reconhecida por importadores e consumidores, que estão disponíveis para pagar mais pelos vinhos da região”, argumentou Francisco Mateus.

Até junho, o vinho de Denominação de Origem Controlada (DOC) Alentejo foi vendido a um preço médio de 5,04 euros por litro e o Regional Alentejano a 3,06 euros por litro, o que contrasta com médias nacionais de, respetivamente, 3,02 euros e 2,44 euros.

“Os valores atingidos traduzem-se numa valorização de 6,4% no preço médio por litro de DOC Alentejo e de 2,3% no Regional Alentejano, face ao mesmo período do ano passado”, disse a CVRA.

Francisco Mateus elogiou “a excecional reação dos produtores alentejanos”, os quais “estão a conseguir trabalhar muito bem os mercados internacionais, apesar das dificuldades impostas pela pandemia que já dura há um ano e meio e que torna mais difícil acompanhar localmente os mercados e o trabalho dos importadores e retalho”.

Nos primeiros seis meses do ano passado, o Alentejo exportou 8,1 milhões de litros de vinho, que corresponderam a 27 milhões de euros de receita, a um preço médio por litro de 3,32 euros.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.