“Casa aberta” disponível para maiores de 25 anos e utentes têm que ter senha

Data:

A modalidade de vacinação “casa aberta” já está disponível para as pessoas com 25 ou mais anos e os utentes têm que, a partir de hoje, tirar uma senha eletrónica para se vacinarem contra a covid-19, anunciou a ‘task-force’.

Numa nota enviada às redações, a ‘task force’ que coordena o plano de vacinação refere que, existindo “uma maior disponibilidade de vacinas”, a modalidade “casa aberta” encontra-se a partir de hoje disponível para a vacinação com idade igual ou superior a 25 anos, deixando de existir a restrição da vacina da Janssen nesta modalidade.

Anuncia ainda que foi criado um sistema de senhas digitais, no âmbito da modalidade “casa aberta”, que passa a estar disponível, também a partir de hoje, na esmagadora maioria dos centros de vacinação existentes em Portugal Continental.

Segundo a organização, “este sistema vem permitir aos utentes evitar a espera numa fila para ser vacinado”.

Para usufruir do sistema de senha digital da modalidade “casa aberta” é necessário que o utente aceda ao portal (https://covid19.min-saude.pt/senha-digital-casa-aberta/) e tire uma senha no próprio dia em que pretende ser vacinado, obrigatoriamente para um Centro de Vacinação localizado no seu concelho de residência, refere a ‘task force’.

Ao pedir a senha digital, o utente deve consultar antecipadamente verificar no portal da afluência (https://covid19.min-saude.pt/cvc/) se o centro de vacinação pretendido tem o “semáforo verde”.

“Após preencher e submeter o formulário, deverá receber a sua senha digital com o respetivo número e hora prevista”, explica a ‘task force’, lembrando que as segundas doses serão sempre no local da primeira dose.

Na modalidade “casa aberta” são vacinadas primeiras doses de utentes elegíveis que não estejam agendados e que não tenham sido infetados com covid-19 nos últimos seis meses, com o objetivo de assegurar que todas as pessoas elegíveis são chamadas ao processo de vacinação.

Os horários de funcionamento da “casa aberta” podem ser consultados em https://covid19.min-saude.pt/casa_aberta.

A ‘task force’ relembra ainda que o auto agendamento está disponível para utentes com idades iguais ou superiores a 18 anos.

A modalidade de auto agendamento permite agendar a primeira dose da vacina contra a covid-19, podendo o utente escolher o local o dia da inoculação da vacina.

O portal do auto agendamento encontra-se disponível https://covid19.min-saude.pt/pedido-de-agendamento/

O objetivo de ter 70% da população de Portugal continental vacinada contra a covid-19, com pelo menos uma dose, foi atingido na passada sexta-feira, antes da data inicialmente prevista.

Já foram administradas, em Portugal continental, cerca de 12,1 milhões de vacinas, que permitiram vacinar, com pelo menos uma dose, mais de 6,9 milhões de pessoas, das quais à volta de 6,2 milhões já têm o esquema vacinal completo, segundo os últimos dados das autoridades de saúde.

Aludindo apenas à população com 16 ou mais anos em Portugal continental, estima-se que já cerca de 82% tenha iniciado o seu esquema vacinal, sendo que, destes, 75% já terão a vacinação completa.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.