Laboratórios no Aeroporto de Lisboa com horário alargado para testes covid-19 devido à greve

Data:

Aeroportos de Portugal anunciou hoje o alargamento do horário dos laboratórios que realizam testes à covid-19 no aeroporto de Lisboa, na sequência dos cancelamentos de voos devido à greve dos trabalhadores da Groundforce.

“De forma a possibilitar a realização de testes covid-19 por parte dos passageiros que deles necessitem para viajar nos próximos dias, a ANA – Aeroportos de Portugal solicitou aos laboratórios que alarguem o seu horário de funcionamento”, adiantou a empresa em comunicado.

Segundo a ANA, os passageiros podem, a partir das 04:00, efetuar o teste de despiste ao vírus SARS-CoV 2 no Synlab, no piso -1 do aeroporto, e na UCS – Cuidados Integrados de Saúde/TAP, junto às partidas.

“Deste modo, os passageiros que viram os seus voos cancelados durante o dia de hoje e de amanhã [domingo] podem realizar o teste PCR ou antigénio no aeroporto de Lisboa num horário mais alargado”, adiantou a ANA.

A empresa avançou ainda que, devido à greve nos serviços de `handling´ (apoio de terra à aviação) da Groundforce, foram cancelados hoje 242 voos no aeroporto de Lisboa – 107 chegadas e 135 partidas.

No aeroporto do Porto, a greve levou ao cancelamento de 18 voos (nove chegadas e nove partidas), em Faro e na Madeira foram canceladas três chegadas e três partidas em cada um dos aeroportos e no Porto Santo a paralisação obrigou a cancelamento de quatro ligações aéreas.

A empresa reiterou o apelo aos passageiros com voo marcado para hoje e domingo para que se informem sobre o estado do mesmo, antes de se deslocarem para o aeroporto.

“Apelamos aos passageiros com voos cancelados que não se dirijam ao aeroporto de Lisboa e procurem informação através de outros canais, digitais e telefónicos”, adiantou a empresa.

As companhias aéreas que utilizam o Terminal 2 do aeroporto de Lisboa e as que operam com outra empresa de assistência em escala, que não a Groundforce, mantêm a sua operação regularizada.

Hoje foi o primeiro dia da greve convocada pelo Sindicato dos Técnicos de Handling de Aeroportos (STHA), como protesto pela “situação de instabilidade insustentável, no que concerne ao pagamento pontual dos salários e outras componentes pecuniárias” que os trabalhadores da Groundforce enfrentam desde fevereiro de 2021.

A paralisação vai prolongar-se pelos dias 18 e 31 de julho, 01 e 02 de agosto, o que levou a ANA a alertar para constrangimentos nos aeroportos nacionais, cancelamentos e atrasos nos voos assistidos pela Groundforce, nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro, Funchal e Porto Santo.

Além desta greve, desde o dia 15 de julho que os trabalhadores da Groundforce estão também a cumprir uma greve às horas extraordinárias, que se prolonga até às 24:00 do dia 31 de outubro de 2021.

A Groundforce é detida em 50,1% pela Pasogal e em 49,9% pelo grupo TAP, que, em 2020, passou a ser detido em 72,5% pelo Estado português.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.