Capitania do Funchal prolonga aviso de vento forte até terça-feira

Data:

A capitania do Funchal prolongou o aviso de vento forte emitido no domingo até às 06:00 de terça-feira, insistindo que as embarcações fiquem nos portos de abrigo.

“Recomenda-se que os proprietários ou armadores das embarcações tomem as devidas precauções para que estas permaneçam nos portos de abrigo”, lê-se no comunicado divulgado pela autoridade marítima regional.

O aviso emitido pela capitania do Funchal, tendo por base as previsões do Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA), estava inicialmente em vigor até às 06:00 de hoje.

A capitania indica que, na orla costeira do arquipélago da Madeira, o vento é de nordeste “fresco a muito fresco, por vezes forte” e a visibilidade “boa a moderada”.

Quanto à ondulação, na parte norte pode aumentar gradualmente até os três metros, sendo “temporariamente” até os dois metros na parte sul.

O movimento de aterragens e descolagens no Aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo está a decorrer com normalidade.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.