Liga adia jogo solidário a favor da UNICEF devido à situação na AML

Data:

O jogo solidário a favor da UNICEF, previsto para 18 de julho, foi adiado para 05 de setembro, devido ao aumento de casos de covid-19 na Área Metropolitana de Lisboa (AML), anunciou hoje a Liga Portuguesa de Futebol Profissional.

“Com o crescimento de casos de covid-19 na região metropolitana de Lisboa, temos como dever e obrigação zelar pela saúde de todos. Por sugestão da UNICEF, e porque queremos proporcionar momentos únicos e com um evento presencial, como todos estamos a precisar, mudámos a data do ‘Joga pelas Crianças”’para 5 de setembro de 2021”, refere a LPFP, em comunicado.

O jogo, previsto para o estádio do Restelo, em Lisboa, colocará frente a frente uma equipa de embaixadores da LPFP e uma equipa composta por figuras públicas em representação da UNICEF.

A AML, que continua isolada ao fim de semana devido à incidência da covid-19, tem todos os seus 18 municípios sujeitos a medidas mais restritivas de desconfinamento.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.