Município de Los Salias agradece contribuição portuguesa no desenvolvimento local

Data:

Los Salias, um dos cinco municípios de Los Altos Mirandinos (a sul de Caracas) agradeceu, no domingo, a contribuição da comunidade lusa para o desenvolvimento local.

O agradecimento foi feito pela economista e diretora-geral da Câmara Municipal de Los Salias, Sara Medina, à margem das festividades em honra de Santo António, na Praça de Portugal, em Los Sálias (25 quilómetros a sul de Caracas), que evocaram ainda o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

“Gostava dar-lhes o meu agradecimento, porque vocês [portugueses] fazem parte do desenvolvimento ordenado que este município tem tido, com valor, sacrifício, e dando um exemplo para o crescimento de uma comunidade e de uma sociedade. Quero agradecer à comunidade lusitana pelo seu contributo e por tudo o que nos tem ensinado”, disse à agência Lusa.

Além de Los Sálias, fazem também parte de Los Altos Mirandinos a cidade de Los Teques e os municípios Guaicaipuro e Carrizal, onde residem mais de 30.000 portugueses.

“A comunidade portuguesa faz parte da idiossincrasia de Santo António. Temos uma influência muito grande, tanto de canarinhos como de portugueses.  Neste momento crítico da economia venezuelana, os municípios vivem da arrecadação [de impostos]” e “uma parte muito elevada corresponde aos portugueses que tiveram por bem radicar-se no nosso município”, disse Sara Medina.

Por outro lado, explicou que além do “comércio, da agricultura e floresta, os portugueses casaram-se com venezuelanas e venezuelanos e por isso temos uma bela mistura de mulheres e cavalheiros, que agora são santo-antonianos”.

“Todos temos, de alguma forma, raízes daquele grupo de imigrantes que veio da Europa de outrora. O valor é incalculável. As tradições, a comida, o comportamento. Incutiram-nos a fé em Nossa Senhora de Fátima”, disse, recordando que no município vizinho de Carrizal, há uma réplica do santuário de Fátima, feito por portugueses.

Em declarações à agência Lusa, o cônsul honorário de Portugal em Los Teques, Pedro Gonçalves, explicou que Santo António é o padroeiro de Los Sálias e que na igreja local estão em conjunto “uma bandeira de Portugal, uma de Itália e da Venezuela”.

“Santo António nasceu em Portugal, morreu em Itália e celebra-se na Venezuela. É uma coisa mesmo interessante (…) é o nosso santo padroeiro [local], a quem pedimos a bênção e que proteja a nossa comunidade”, disse.

Por outro lado, explicou que em Los Sálias esta a maior praça de Portugal da Venezuela, que “foi entregue pelas autoridades municipais à comunidade portuguesa e pelas autoridades nacionais a Portugal”.

“Nesta praça, os jardins e tudo aqui, é cuidado pela nossa comunidade  (…) é uma grande honra ter aqui o nosso Luís de Camões, Santo António, Nossa Senhora de Fátima e a cruz que representa a nossa esperança”, frisou.

Segundo Pedro Gonçalves 90% dos mais de 30 mil portugueses de Los Altos Mirandinos são originários da Madeira e dedicam-se à agricultura e floricultura, um trabalho que é acompanhado pelos netos e filhos, que se destacam também como médicos, engenheiros e jornalistas.

“Têm dado muito à Venezuela, mas também há muitas pessoas [lusas] com grandes necessidades. Somos trabalhadores, unidos, sempre pensamos em Portugal e fazemos o melhor para ajudar”, disse.

Entre as preocupações locais, destacou a pandemia da covid-19, nomeadamente a expetativa sobre a vacinação.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.