TVI24 vai dar lugar à CNN Portugal e deverá estar no ar “no último trimestre”

Data:

O presidente da Media Capital afirmou que a TVI24 vai dar lugar à CNN Portugal no último trimestre deste ano e adiantou que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) foi informada na semana passada.

“Estamos já há alguns meses a trabalhar neste projeto, tencionamos certamente no último trimestre deste ano estar no ar”, afirmou Mário Ferreira no Jornal das 8, da TVI.

O presidente do Conselho de Administração da Media Capital acrescentou que está dependente da autorização da ERC para o ‘rebranding’ da TVI24, já que isso “é importante”, uma vez que “faz parte do contrato com a CNN”.

Só depois “dessa autorização é que estaremos a trabalhar a 100% na transição, que esperamos que comece em breve e que possamos dar oportunidade – porque não se conseguirá fazer um canal 24 horas sem mais meios – a novos colaboradores que possam entrar e que alguns até (…) sejam talentos a descobrir”, afirmou o empresário.

O acordo com a CNN “inicialmente traduz-se num ‘rebranding’ do canal que temos de notícias, a TVI24, mas na verdade, em Portugal neste momento, não existe nenhum canal que verdadeiramente transmita notícias 24 horas”, prosseguiu Mário Ferreira, que foi eleito presidente da Media Capital em 24 de novembro do ano passado.

“Traduz-se numa mudança de nome, numa mudança de paradigma em termos de trabalho que aqui será feito em termos de design, de imagem, que vinha a ser feito, aliás, desde o início do ano e desde a chegada de Anselmo Crespo [diretor de informação] e deste novo conjunto de acionistas, e também numa grande melhoria do canal”, sublinhou.

Este acordo reflete “também a busca por parte deste conjunto de acionistas dinâmico, de certa maneira até ambicioso e exigente, que gostaria de ver um canal e uma marca de notícias no país que vai mais além daquilo que é hoje já qualidade jornalística que temos no canal TVI24”.

Mário Ferreira sublinhou que a CNN “avaliou a qualidade do trabalho que era feito, a qualidade jornalística, dos recursos humanos” da Media Capital.

“A ERC, na semana passada, foi devidamente informada pelos nossos advogados do que estaria a acontecer e das negociações que estariam em causa, como a Media Capital é uma sociedade cotada, isto é um ato relevante, teve que ser mantido relativamente em segredo num grupo restrito de pessoas”, acrescentou.

O acordo “traz desde já um reforço daquilo que são os valores em que acreditamos, traz também, não só para a Media Capital, mas para Portugal e para os profissionais que aqui trabalham, uma valorização porque nós vamos ter aqui uma janela aberta para o mundo também, teremos acesso permanente à base de dados” da CNN.

“Queremos mandar uma mensagem que queremos reforçar a credibilidade, reforçar a qualidade, queremos reforçar a independência, queremos reforçar uma imagem de que queremos cobrir o Portugal, queremos criar um televisão que, embora tenha marca forte a nível mundial, possamos criar para os portugueses a possibilidade que se houver uma catástrofe durante a noite, ligue a televisão ou vá ligar a CNN Portugal porque sabe que nós teremos lá alguém”, acrescentou.

Mário Ferreira disse que será feito “um investimento”, mas não adiantou valores.

O anúncio deste acordo com a CNN acontece precisamente seis meses após Mário Ferreira ter sido eleito presidente do Conselho de Administração da Media Capital e um ano depois (14 de maio de 2020) de ter entrado na dona da TVI, ao comprar 30,22% da empresa.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.