Remessas dos emigrantes cabo-verdianos em Portugal caíram quase 14% em 2020

Data:

As remessas enviadas pelos emigrantes cabo-verdianos em Portugal para o arquipélago caíram quase 14% em 2020, sendo ultrapassadas pelas provenientes de França e dos Estados Unidos, de acordo com o Banco de Cabo Verde (BCV).

Segundo dados provisórios de um relatório recente do banco central, a que a Lusa teve hoje acesso, as remessas enviadas pelos emigrantes cabo-verdianos para o arquipélago aumentaram globalmente 4,5% de 2019 para 2020, para 20.789 milhões de escudos (187 milhões de euros), passando a ser lideradas pelas provenientes dos Estados Unidos, que dispararam 33%, para mais de 5.982 milhões de escudos (53,8 milhões de euros).

As remessas enviadas pelos emigrantes cabo-verdianos em França aumentaram para quase 4.983 milhões de escudos (44,8 milhões de euros) em 2020, enquanto as remessas provenientes de Portugal, que habitualmente lideravam na contabilidade anual, caíram 13,8%, para cerca de 4.895 milhões de escudos (44 milhões de euros), face aos 5.679 milhões de escudos (51 milhões de euros) em 2019.

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, reconheceu em dezembro passado, no parlamento, a importância para a economia nacional das remessas enviadas pelos emigrantes, que continuavam a crescer e representam já 11,3% do Produto Interno Bruto (PIB) cabo-verdiano.

“As contribuições das remessas dos emigrantes têm sido importantes ao longo da história de Cabo Verde. São importantes para as famílias, para o financiamento da economia cabo-verdiana e também demonstra que a confiança tem aumentado, mesmo no período da pandemia”, afirmou, num debate mensal no parlamento.

Explicou que as remessas valiam 10,6% do PIB, em média, na legislatura de 2012 a 2015, mas que subiram para 11,3% no período de 2016 a 2019.

“E neste período de pandemia, ao contrário do que estava estimado, tem havido uma evolução positiva, um crescimento de 20% de junho de 2019 a junho de 2020”, destacou, em dezembro, Ulisses Correia e Silva, reforçando a importância destas remessas por continuarem a aumentar, globalmente, apesar das dificuldades económicas que os emigrantes cabo-verdianos também enfrentam nos países onde trabalham, devido à pandemia de covid-19.

A população de Cabo Verde está estimada em 550 mil habitantes, mas mais de um milhão de cabo-verdianos vive na Europa e Estados Unidos da América, estando o sistema financeiro dependente das remessas desses emigrantes.

Segundo os dados de 2019, as remessas dos emigrantes cabo-verdianos radicados em Portugal valiam cerca de 30% do total, segundo dados anteriores do BCV.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.