Lisboa e Vale do Tejo é a única região do país com Rt abaixo de 1

Data:

Lisboa e Vale do Tejo é a única região do país que apresenta um índice médio de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-Cov2 abaixo de 1, o que indica um “aumento da incidência” da covid-19, anunciou hoje o INSA.

De acordo com o relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) sobre a evolução do número de casos de covid-19 em Portugal, os resultados deste indicador “indicam uma tendência crescente de novos casos a nível nacional e em todas as regiões, à exceção de Lisboa e Vale do Tejo”.

De acordo com os dados hoje divulgados, o Rt – que se refere ao número de casos secundários de covid-19 resultantes de uma pessoa infetada – está acima de 1 a nível nacional há 15 dias, tendo variado entre os 1,01 e os 1,08 nesse período, estando atualmente nos 1,05.

Por regiões, o INSA adiantou ainda que foi estimado um Rt de 1,11 para o Norte, de 1,05 para o Centro, de 0,96 para Lisboa e Vale do Tejo, de 1,13 para o Alentejo, de 1,07 para o Algarve, de 1,41 para os Açores e de 1,22 para a Madeira.

O relatório refere também que todas as regiões do continente, com exceção do Algarve, apresentam uma taxa de incidência acumulada de novos casos da doença abaixo ou igual a 120 casos por 100 mil habitantes.

Neste indicador, o Norte apresenta uma taxa de 64,9, o Centro de 49,9, Lisboa e Vale do Tejo de 69,8, o Alentejo de 84,9, o Algarve de 131,4, os Açores de 148,7 e a Madeira de 169,9.

Estes indicadores – o índice de transmissibilidade do vírus e a taxa de incidência de novos casos de covid-19 – são os dois critérios definidos pelo Governo para a avaliação continua que está a ser feita do processo de desconfinamento que se iniciou a 15 de março e que prossegue segunda-feira com a terceira de quatro fases na generalidade do território continental.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, reconheceu que o Rt teve uma evolução negativa desde o início do processo de desconfinamento, em março, e que se aproxima do “lado perigoso” da matriz de avaliação.

“O ritmo de transmissão, infelizmente, não tem tido uma boa evolução. Tínhamos um R de 0,78 em 09 de março e hoje [quinta-feira] estamos em 1,05. Estamos a dirigir-nos para o lado perigoso desta matriz”, afirmou António Costa em conferência de imprensa após o Conselho de Ministros que decidiu o avanço para a próxima fase do desconfinamento.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.987.891 mortos no mundo, resultantes de mais de 139 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.937 pessoas dos 829.911 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.