North Music Festival regressa em setembro à Alfândega do Porto

Data:

O North Music Festival (NMF) vai regressar à Alfândega do Porto, entre 30 de setembro e 02 outubro, tendo assegurado a confirmação dos cabeças-de-cartaz internacionais já anunciados em 2020, Deftones, Waterboys e The Script.

Festival adiou a edição de 2020 para este ano, apresentando como novidade mais um dia de concertos, cujo cabeça de cartaz, assim como o restante alinhamento, será, entretanto, revelado.

Inicialmente, a realização do festival estava agendada para maio deste ano, contudo, explicou à Lusa Jorge Veloso, diretor do festival e da produtora Vibes & Beats, a organização considerou mais “prudente” avançar com o NMF em outubro, altura em que se espera se possa realizar o festival “dentro de uma nova normalidade”.

“Estamos numa fase em a que vacinação está a um ritmo de 100 mil pessoas por dia, vai chegar ao 150 mil por dia nos próximos tempos e nós acreditamos que estamos debaixo dessa proteção”, observou, mostrando-se confiante na previsão do Governo, da Comissão Europeia e de autoridades de saúde que apontam para uma imunidade de grupo da população portuguesa ainda antes do final do verão.

A organização do North Music Festival, que tem estado em contacto e constante articulação com a Direção-Geral da Saúde (DGS), Governo, autoridades locais e todas as estruturas competentes, está ainda a ser assessorada por uma entidade privada que, juntamente com a unidade de saúde pública, tem apoiado a tomada de decisões, por forma a garantir o cumprimento de todas as diretrizes para a realização do evento.

Salientando que vão ser realizados “eventos piloto” no país, o responsável pela organização admite que, na ausência de um certificado vacinação, a entrada no recinto do festival seja sujeita a um teste de antigénio negativo, tal como prevê o decreto-lei aprovado, em Conselho de Ministros, no dia 01 de abril, e publicado na semana passada.

O diploma em causa que prevê a possibilidade de este ano serem realizados “eventos teste-piloto”, em articulação com a Direção-Geral da Saúde (DGS), para definição de novas orientações técnicas, no setor da Cultura, também admite a realização de testes de diagnóstico do vírus SARS-CoV-2, por imposição da DGS ou por iniciativa do promotor do evento.

Jorge Veloso adiantou ainda que a organização vai promover o modelo de ‘cashleve’, com a utilização de cartões, ‘contactless’ e mbway, para evitar transações de dinheiro.

O diretor do festival revelou que o recinto também vai ser ampliado, na expectativa de que, em outubro, a lotação possa ficar perto da habitual.

Questionado sobre o impacto financeiro dos adiamentos do festival, Jorge Veloso não concretiza o valor, mas assume que os prejuízos são elevados, salientando que o foco da organização passou por garantir que os concertos dos cabeça-de-cartaz se realizassem.

O bilhete diário tem o valor de 50 euros e o passe geral terá uma pré-venda limitada, no valor de 90 euros.

Para o público que adquiriu os bilhetes em 2020, e no seguimento do que já foi indicado, estes mantêm-se válidos para as novas datas agora anunciadas, tendo em conta o alinhamento do cartaz.

Já os detentores dos passes gerais (de dois dias no ano passado) têm um ‘upgrade’ automático, passando a ter acesso aos três dias da nova edição, sem qualquer custo adicional.

Os bilhetes para a quarta edição do North Music Festival estão agora disponíveis para venda nos locais habituais, assim como no ‘site’ do festival (www.northmusicfestival.com).

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.