“É o que cada português, todos os dias, tem de pensar, que é também sua responsabilidade. Nenhum de nós deseja voltar para trás”

Data:

O Presidente da República comparou hoje a retoma das atividades escolares a uma “nova primavera” e pediu aos portugueses “um esforço nacional de todos para todos” para se evitar um recuo nesta reabertura progressiva.

No dia em que os alunos dos segundo e terceiro ciclos regressaram às escolas, o chefe de Estado visitou a Escola Básica Francisco de Arruda, em Lisboa, com o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Defendendo que “é completamente diferente o ensino à distância do ensino presencial”, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que “à sua maneira, este é um dia histórico”, que corresponde a “um virar de página que se espera sem recuo, irreversível”.

O Presidente da República pegou no lema desta escola, “de todos para todos”, e fez um apelo aos portugueses para que “engrenem neste esforço nacional de todos para todos” que assegure a concretização das próximas etapas do plano de desconfinamento se concretizem e a reabertura de todas as atividades escolares.

“Num dia tão bonito, isto corresponde a uma nova primavera, é a primavera como estação do ano, mas é a primavera em Portugal, a primavera nas escolas”, considerou.

Com o ministro da Educação ao seu lado, declarou: “Estamos aqui, simbolicamente, para dizer que este é um esforço conjunto, acreditando que é uma abertura para o futuro”.

Questionado se dá como adquirido que há condições para se cumprir o plano de desconfinamento do Governo, o chefe de Estado respondeu: “É um esforço de todos os dias”.

No seu entender, “todos os portugueses têm feito o esforço, fizeram em confinamento, estão a fazer em desconfinamento, fizeram antes da semana da Páscoa, fizeram na semana da Páscoa” e também o “vão fazer nas próximas semanas, respeitando as regras de saúde pública”.

“Portanto, isto é feito dia a dia, permanentemente”, reiterou.

Marcelo Rebelo de Sousa salientou que a reabertura progressiva “passa pelo comportamento de todos” e insistiu que o mês de abril é fundamental.

“É no mês de abril que se consolida este processo de desconfinamento. Se correr bem, quando chegarmos a maio e depois a junho já teremos ultrapassado aquilo que é o programa de desconfinamento. É o que desejamos. É o que cada português, todos os dias, tem de pensar, que é também sua responsabilidade. Nenhum de nós deseja voltar para trás”, acrescentou.

Em Portugal, já morreram mais de 16 mil pessoas com covid-19 e foram contabilizados até agora mais de 823 mil casos de infeção com o novo coronavírus que provoca esta doença, de acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.