Sintra cria cinco polos de vacinação para vacinar 15 mil pessoas

Data:

O município de Sintra, no distrito de Lisboa, vai dispor de cinco polos de vacinação contra a Covid-19, estimando nesta fase vacinar cerca de 15 mil utentes, disse à agência Lusa o presidente da autarquia.
O processo de vacinação de idosos com 80 ou mais anos e de pessoas com mais de 50 anos com doenças associadas arrancou na quarta-feira em Lisboa, prosseguindo em mais sete locais da região Norte. Em Sintra, vai arrancar na segunda-feira.
Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta (PS), adiantou que vão ser instalados polos de vacinação no complexo desportivo municipal de Fitares, no Mercado de Agualva, na Junta de Freguesia de Casal de Cambra, no Centro de Saúde da Terrugem e no Regimento de Artilharia Anti-Aérea Nº1, em Queluz.
No entanto, em relação ao Regimento de Artilharia Anti-Aérea Nº1 ( RAAA1), Basílio Horta ressalvou que ainda decorre um pedido de autorização para a utilização daquele espaço, mas que “a resposta deverá ser positiva”.
“Achámos que só nos centros de saúde isso [vacinação] era impossível e, portanto, vamos instalar cinco polos de vacinação. A lógica é uma lógica de descentralização e de proximidade”, justificou.
O polo do complexo desportivo municipal de Fitares, localizado na freguesia de Rio de Mouro, terá capacidade para vacinar 3.500 pessoas, o mesmo número previsto para os polos do Mercado de Agualva, do Centro de Saúde da Terrugem e do RAAA1.
Já na Junta de Freguesia de Casal de Cambra está prevista a vacinação de 1.000 pessoas.
Segundo referiu o autarca, para esta fase está prevista a vacinação no concelho de cerca de 15.000 pessoas, arrancando a campanha na segunda-feira e prologando-se até abril.
Esta é uma nova etapa da fase 1 do plano nacional de vacinação contra o novo coronavírus, que se iniciou em 27 de dezembro, e que foi recentemente atualizado, passando a incluir a vacinação simultânea das pessoas com 80 ou mais anos de idade.
A campanha de vacinação contra a covid-19 foi planeada de acordo com a disponibilidade das vacinas contratadas para Portugal, que estão a ser administradas faseadamente a grupos prioritários, até que toda a população elegível esteja vacinada.
A fase 1 abrange também os profissionais de saúde diretamente envolvidos na prestação de cuidados a doentes, funcionários e utentes de lares de idosos e da rede nacional de cuidados continuados integrados, assim como elementos das forças armadas, das forças de segurança, de serviços críticos e titulares de órgãos de soberania e altas entidades públicas.
O objetivo é vacinar 80% das pessoas com mais de 80 anos até março.
A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.269.346 mortos resultantes de mais de 104,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.
Em Portugal, morreram 13.482 pessoas dos 748.858 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.
A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.