Galiza e Norte de Portugal iniciam simplificação de circulação de trabalhadores

Data:

O Agrupamento Europeu Galiza e Norte de Portugal (GNP- AECT) iniciou o projeto ‘B-Solutions’ promovido pela Comissão Europeia e pela Associação de Regiões Fronteiriças Europeias (ARFE) para simplificar o guia de circulação de trabalhadores transfronteiriços, foi hoje divulgado.
Em comunicado enviado à agência Lusa, o AECT Galiza-Norte de Portugal adiantou que o vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), Beraldino Pinto, participou na primeira reunião do novo projeto que foi designado ao perito jurídico Miguel Guimarães.
“O perito reuniu-se com todas as entidades e trabalhadores pertencentes ao projeto com o objetivo recolher mais informação sobre a problemática e avançar na procura de uma possível solução”, especifica a nota.
Na primeira reunião, “além da participação do vice-Presidente da CCDR-N, Beraldino Pinto, o encontro contou com a presença do Diretor Geral de Relações Exteriores e com a União Europeia da Junta de Galiza, Jesús Gamallo”.
“Ambos salientaram a necessidade de trabalhar na resolução de obstáculos administrativos ou legais que penalizem os habitantes transfronteiriços, particularmente expostos a este problema devido à grande permeabilidade e à elevada interconexão económica, laboral e social existente na eurorregião”, descreve-se no comunicado.
Em causa está o projeto designado ‘Eliminação ou simplificação da Guia de Circulação para os trabalhadores transfronteiriços’ apresentado pelo AECT da eurorregião Galiza – Norte de Portugal ao programa ‘B-Solutions’ de 2020, promovido pela Comissão Europeia e pela Associação de Regiões Fronteiriças Europeias (ARFE).
A candidatura apresentada pela AECT Galiza e Norte de Portugal ao programa B-Solutions, agora em estudo, resultou de uma proposta do EURES-Transfronteiriço.
O programa ‘B-Solutions’ de 2020 tem como objetivos identificar e promover a resolução de obstáculos fronteiriços de carácter jurídico ou administrativo, ao longo das fronteiras internas da União Europeia.
Segundo a nota hoje enviada, irão decorrer outras reuniões com representantes de entidades públicas, forças de segurança e trabalhadores do Norte de Portugal e da Galiza”.
Aquele perito produzirá um relatório com recomendações para as administrações respetivas poderem dar sequência necessária à sua resolução.
Àquele técnico “competirá analisar a informação que consta da candidatura, reunir-se com as entidades e pessoas que, no território, sentem os problemas de circulação”, estimando-se que essa avaliação possa iniciar-se até ao final do ano.
O especialista “definirá o obstáculo de forma clara, assim como identificará uma solução e delineará um enquadramento legal”.
Atualmente, o guia de circulação “pode obter-se ‘on-line’, podendo ser renovado anualmente”.
O AECT da Eurorregião Galiza – Norte de Portugal é constituído pela Junta de Galiza e pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte(CCDR-N).
O agrupamento “tem como objetivo principal facilitar e fomentar a cooperação institucional, para ajudar a derrubar barreiras físicas e burocráticas que contribuam para mitigar o efeito de fronteira, e permitam a criação de uma eurorregião autêntica e efetiva”.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.