Portugal formalizou recandidatura de António Guterres à liderança da ONU

Data:

O Governo português formalizou hoje a recandidatura de António Guterres para um segundo mandato de cinco anos como secretário-geral da ONU.
O primeiro-ministro, António Costa, assinou hoje a carta a formalizar a proposta do executivo português, documento endereçado ao presidente da Assembleia-Geral da ONU e à presidência do Conselho de Segurança, este mês assegurada pelo Reino Unido.
Numa breve declaração aos jornalistas, o primeiro-ministro salientou a “liderança firme” de Guterres em cinco anos “particularmente difíceis” e a importância de reforçar as organizações multilaterais perante os grandes desafios comuns e as “causas comuns” da atualidade.
O mandato de cinco anos de Guterres, que assumiu o cargo de secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em janeiro de 2017, termina no final deste ano, a 31 de dezembro.
Aclamado pelos 193 Estados-membros da Assembleia-Geral da ONU para o cargo de secretário-geral em 13 de outubro de 2016, António Guterres anunciou, em janeiro último, a sua disponibilidade para cumprir um segundo mandato de cinco anos no período de 2022-2026.
As Nações Unidas deram início este mês ao processo formal de seleção do próximo secretário-geral da organização, ao pedirem aos 193 Estados-membros que submetessem os nomes de candidatos ao cargo.

O “caloroso apoio” do Presidente da República

O Presidente da República falou hoje com António Guterres transmitindo-lhe “o seu caloroso apoio” à sua candidatura a um novo mandato de cinco anos como secretário-geral das Nações Unidas.
A informação foi divulgada através de uma nota no portal da Presidência da República na Internet.
“O Presidente da República saúda, com grande júbilo, a recandidatura do engenheiro António Guterres, com quem já hoje falou transmitindo o seu caloroso apoio, a um novo mandato como secretário-geral das Nações Unidas”, lê-se na nota.
Marcelo Rebelo de Sousa defende que António Guterres “é a pessoa certa para continuar a promover o imprescindível papel e a reforma daquela organização”.
Segundo o chefe de Estado, a recandidatura de António Guterres “é uma excelente notícia para as Nações Unidas, porque demonstrou ser um brilhante secretário-geral”, e também “é uma excelente notícia para Portugal, porque é um português de enorme valor”.
Marcelo Rebelo de Sousa elogia António Guterres pelo “seu conhecimento dos grandes problemas do mundo, assente numa vasta carreira internacional e numa experiência ímpar ao serviço das Nações Unidas, designadamente no seu atual mandato”.
No primeiro ano do seu mandato como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa empenhou-se na candidatura de António Guterres ao cargo de secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), à qual apelou perante a Assembleia Geral da ONU, em setembro de 2016.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.