Renováveis abastecem 59% do consumo nacional de eletricidade em 2020

Data:

Mais de metade (59%) da energia elétrica consumida em 2020 resultou de produção renovável, com destaque para a hidroelétrica e eólica, ambas com cerca de 25%, segundo dados da REN – Redes Energéticas Nacionais.

Em comunicado, a REN, empresa responsável pela gestão global dos sistemas nacionais elétrico e de gás natural, acrescenta que a biomassa esteve na origem de 7% da energia elétrica consumida no ano passado e a produção fotovoltaica representou 2,6%.

Os dados da REN apontam ainda que, em 2020, a produção não renovável abasteceu 38% do consumo elétrico, fundamentalmente com gás natural, representando o carvão cerca de 4% do consumo.

Já o saldo de trocas com o estrangeiro forneceu os restantes 3% do consumo nacional.

Segundo a REN, no final de 2020 o índice de produtibilidade hidroelétrica situou-se em 0,97 (média histórica igual a 1) e o de produtibilidade eólica em 0,94 (média histórica igual a 1).

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.