Vacinação dos grupos prioritários vai arrastar-se até abril. Agendamentos serão feitos por SMS

Data:

As primeiras doses da vacina da Pfizer/BioNTech chegam a Portugal entre dia 24 e 26 de dezembro. Até janeiro, o país vai receber 313 mil doses, mas esta encomenda só permite vacinar 139 mil pessoas.

A ministra da Saúde esta semana que as primeiras doses que chegam a Portugal na próxima semana serão destinadas aos profissionais de saúde.

A primeira encomenda de vacinas de 9.750 doses será focada apenas nos profissionais de saúde. Irá focar-se nos centros hospitalares – provavelmente Lisboa Central e São João.

“Guardaremos de imediato uma dose para a segunda toma de todas as pessoas que iniciarem a vacinação”, explicou Francisco Ramos, coordenador do grupo responsável pelo plano.

Das 139 mil pessoas que serão vacinadas até janeiro, 118 mil são residentes e profissionais em lares e 21 mil profissionais de saúde.

O plano prevê que todos profissionais de saúde prioritários deverão estar vacinados no final de março, todos os residentes em lares no final de fevereiro, pessoas com comorbilidades no final de abril e outros profissionais de saúde no final de abril.

Em relação à distribuição das vacinas, os arquipélagos dos Açores e da Madeira vão receber duas caixas cada, sendo que cada uma tem cerca de 4.875 doses. Portugal continental recebe 58 caixas.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.