Parlamento quer o Dia Nacional da Sustentabilidade celebrado 25 de setembro

Data:

O parlamento aprovou hoje três projetos de resolução, da autoria do CDS-PP, Chega e da deputada não inscrita Joacine Katar Moreira, que recomendam ao Governo a instituição do dia 25 de setembro como o Dia Nacional da Sustentabilidade.

As iniciativas legislativas surgiram no seguimento de uma proposta entregue pela DECO (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor) ao parlamento em abril.
No projeto apresentado pelos centristas, o CDS lembra que “em 2015, a arena internacional deu um passo considerável, com a tomada de posição intergovernamental assumida numa cimeira das Nações Unidas, realizada nos dias 24 e 25 de setembro” que acordou “um compromisso conjunto de 17 objetivos para o desenvolvimento sustentável até 2030”.
“Perante a inevitabilidade de mudanças e reformas que o cenário de 2020 trouxe para junto dos decisores políticos e da nossa sociedade, as preocupações de 2015 em torno dos objetivos enumerados cresceram em urgência e pertinência”, sustentam.
Assim, o CDS insta o governo socialista a conceder “um reconhecimento institucional e nacional ao dia 25 de setembro como data dedicada à sustentabilidade – no nosso país e no restante mundo, em jeito de sensibilização cívica para os objetivos a cumprir até ao fim da década”.
No projeto do Chega pode ler-se que “urge que os governos e as mais diversas instituições de todos os países se unam na tomada de medidas que promovam uma diminuição da pegada ecológica e a implementação de um modelo económico que se adeque aos desafios que agora nos são colocados”.
No entanto, o deputado único do partido, André Ventura, considera que “é importante reduzir as emissões de dióxido de carbono, mas é também importante que não se escolha o caminho mais fácil, que é o de penalizar as indústrias e as empresas poluidoras, pois estas são responsáveis pela empregabilidade de milhões de pessoas em todo o mundo”.
Já a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira advoga que “em face do modelo extrativista, a ideia de sustentabilidade ambiental e cultural tem-se imposto em nome das futuras gerações”, mas tal ideia tem sido “incapaz de romper com a ideia de progresso contínuo que se tem caracterizado por uma exploração sem limites, com impacto a diversos níveis nas sociedades e no planeta”.
“Ao contrário do que vulgarmente se toma por sustentabilidade, não é somente o planeta na sua dimensão ambiental que está em causa. Justamente por não ser possível subtrair o planeta da esfera da existência humana, a sustentabilidade deriva de uma triangulação de forças idealmente harmonizada entre: crescimento económico, inclusão social e proteção ambiental”, explicita a deputada.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.