Secretária de Estado das Comunidades visita portugueses na África do Sul

Data:

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, realiza a partir de quinta-feira, 19 de novembro, a sua primeira visita à África do Sul, para se inteirar das “dificuldades e ansiedades” dos portugueses e lusodescendentes no país africano, foi hoje anunciado.
Do programa da visita de quatro dias constam encontros com representantes das comunidades portuguesas em Joanesburgo, Pretória e Cidade do Cabo, com regresso previsto a Portugal no domingo.
Berta Nunes vai reunir-se com representantes da comunidade portuguesa local, entre os quais conselheiros das Comunidades Portuguesas e responsáveis do movimento associativo.
No âmbito da colaboração entre o Ministério dos Negócios Estrangeiros e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) para apoiar instituições de assistência social no país, a governante, acompanhada pela diretora de Ação Social da SCML, Maria da Luz Cabral, visitará a Escola do Lusito e os Lares de S. Francisco de Assis, de Nossa Senhora de Fátima e de Santa Isabel, onde decorrem intervenções de requalificação nas respetivas instalações.
O programa inclui igualmente uma visita à Embaixada e aos serviços consulares portugueses e uma reunião com professores da Rede de Ensino Português na África do Sul.

Dar a conhecer “as nossas dificuldades”

Em Joanesburgo, Berta Nunes irá dialogar com líderes da comunidade portuguesa de áreas como o associativismo, o setor social e o empresariado, estando também previsto um almoço na sexta-feira organizado pela União Cultural, Recreativa e Desportiva Portuguesa (UCRDP), disse à Lusa o dirigente da coletividade, José Contente.
“A nossa expectativa é dar a conhecer no início do mandato que assumiu no ano passado, uma vez que é a primeira vez que se desloca a este continente, as nossas dificuldades, fazer ver que esta comunidade que tem sido pobremente acompanhada merece um bocadinho mais, e ver se pelo menos motiva um investimento qualquer na nossa juventude aqui na região”, adiantou Contente à Lusa.
O dirigente da coletividade portuguesa mais antiga na África do Sul, criada em 1961, sublinhou à Lusa que as medidas de confinamento da covid-19 agravaram a sustentabilidade financeira do movimento associativo imigrante.
No mesmo dia, a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas irá participar, também, num jantar em Pretória, sede da presidência sul-africana, com a comunidade lusa, da responsabilidade da Associação da Comunidade Portuguesa de Pretória (ACPP), segundo a coletividade local.
O número de portugueses e lusodescendentes na África do Sul estima-se em 500 mil, sendo considerada uma das maiores comunidades imigrantes fora de Portugal que passou por dificuldades extraordinárias em Angola e Moçambique com o processo de descolonização.
Cerca de 125 mil portugueses tem registo consular na África do Sul, dos quais cerca de 75 mil em Joanesburgo, o motor da economia do país, e cerca de 20 mil na Cidade do Cabo, disse à Lusa fonte consular.
Com uma taxa recorde de desemprego de 43,1%, no terceiro trimestre deste ano, a economia mais industrializada de África, que está em recessão desde o ano passado, debate-se também com problemas estruturais, corrupção galopante na administração pública e elevados níveis de criminalidade, com 652.726 crimes reportados entre julho e setembro, um acréscimo de 33.9%, segundo a polícia sul-africana.
Dados da organização não-governamental luso-sul-africana Fórum Português, consultados pela Lusa, indicam que desde março deste ano foram assassinados sete portugueses na África do Sul, dos quais dois este mês, em Gauteng, província envolvente a Joanesburgo.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.