Lançado concurso para requalificar ferrovia entre Torres Vedras e Caldas da Rainha

Data:

O concurso para a requalificação da Linha ferroviária do Oeste entre Torres Vedras e Caldas da Rainha, no valor de 40 milhões de euros, foi hoje publicado em Diário da República (DR).
A obra terá a duração de um ano e 10 meses e vai abranger 44 quilómetros da linha, atravessando os concelhos de Torres Vedras, Cadaval (distrito de Lisboa), Bombarral, Óbidos e Caldas da Rainha, de acordo com o anúncio do procedimento.
A empresa responsável, a Infraestruturas de Portugal (IP), explicou que a obra consiste na eletrificação integral do troço e modernização da linha férrea, reabilitação dos edifícios e condições de acessibilidade nas estações de Torres Vedras, Ramalhal, Outeiro, Bombarral e Caldas da Rainha e nos apeadeiros de Paúl, São Mamede, Dagorda e Óbidos, com a criação de acessos para pessoas com mobilidade condicionada às plataformas de passageiros e alteamento das plataformas de modo a facilitar a entrada e saída do comboio.
A intervenção engloba também a renovação pontual e retificação do traçado da via e construção de um novo traçado numa extensão de dois quilómetros na freguesia de Campelos e Outeiro da Cabeça, no concelho de Torres Vedras, “com o intuito de potenciar a circulação de comboios convencionais à velocidade de 140 quilómetros/hora”.
A construção de uma nova linha no apeadeiro de São Mamede, convertida em estação, o reforço da segurança rodoviária e ferroviária com a automatização e supressão de quatro passagens de nível, a melhoria das condições de atravessamento rodoviário, com a construção de quatro passagens desniveladas, e a instalação de sinalização eletrónica, para reforçar as condições de segurança e circulação ferroviárias, estão também previstas.
A autorização para a empreitada foi dada pelo Governo em 18 de setembro, através da portaria publicada em DR, repartindo os custos por 2021 (14,7 milhões), 2022 (23,5 milhões) e 2023 (1,7 milhões), uma vez que se trata de uma obra com “execução plurianual”.
Englobada no programa de modernização da Ferrovia 2020, a modernização da Linha do Oeste, um investimento total de 155 milhões de euros, foi dividida em duas empreitadas.
A primeira, entre Sintra e Torres Vedras, no distrito de Lisboa, foi lançada a concurso em julho de 2019, pelo valor de 61,5 milhões de euros. Depois de obtido o visto do Tribunal de Contas ao contrato, a IP “prevê que a empreitada possa ser consignada no início do mês de novembro, dando início aos trabalhos”.
Está também planeada a eletrificação integral desse troço, a beneficiação de cinco estações e seis apeadeiros, a automatização e supressão de passagens de nível, a construção de nove passagens desniveladas, a reabilitação estrutural e o rebaixamento da plataforma ferroviária para colocação da catenária nos túneis de Sapataria, Boiaca, Cabaço e Certã, a instalação da sinalização eletrónica e das comunicações, assim como do sistema de retorno de corrente de tração e terras de proteção.
A modernização da Linha do Oeste entre as estações de Mira Sintra/Meleças (Sintra) e Caldas da Rainha tem como principais objetivos melhorar a eficiência, reforçar a competitividade do sistema ferroviário, através do aumento da capacidade, e reduzir os tempos de trajeto, adequados aos níveis de procura e fluxo de passageiros.
“A utilização de material circulante de tração elétrica, a otimização do traçado de via e a instalação da sinalização e telecomunicações ferroviárias no troço até Caldas da Rainha possibilitará a redução do tempo de percurso entre Caldas da Rainha – Lisboa e Torres Vedras – Lisboa em cerca de 30 minutos” e “o aumento da oferta das atuais 16 circulações para 48”, em ambos os sentidos, estimou a IP.
O investimento vem também contribuir para a redução dos custos energéticos, emissões de dióxido de carbono e níveis de ruído, assim como para o aumento da segurança e da fiabilidade na linha.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.