Mónica Vieira-Auer é a vencedora do Prémio IN/Ferreira de Castro

Data:

Mónica Vieira-Auer, portuguesa a viver na Alemanha, é a vencedora da segunda edição do Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro, atribuído pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda em parceria com o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE).
‘A Parte pelo Todo’ foi a obra a receber este ano o Prémio IN/Ferreira de Castro, dirigido a portugueses residentes no estrangeiro e a lusodescendentes que publiquem trabalhos inéditos de grande qualidade nos domínios da ficção, poesia e ensaio, informa o MNE num comunicado enviado ao ‘Mundo Português’.
A obra, do domínio da poesia, foi selecionada entre 15 candidaturas, de vários países, como Alemanha, Bélgica, Colômbia, França, Reino Unido, Estados Unidos da América e Canadá.
Tal como na primeira edição, o júri foi presidido pelo académico Carlos Reis e integrou igualmente a editora-chefe da Imprensa Nacional, Paula Mendes, e a professora universitária Fátima Marinho.
Sobre a obra escolhida, ‘A Parte pelo Todo’, o júri destacou a “representação de um universo pessoal com grande carga de autenticidade, temperada por uma certa contenção e, a espaços, por discretas notações irónicas; configuração de um ritmo poético formulado em versificação de alargada discursividade, episodicamente dotada de um certo impulso narrativo; desenvolvimento de uma imagística muito sugestiva, em sintonia com a evocação de vivências de um quotidiano investido de dimensão poética”.
Mónica Vieira-Auer nasceu em Silvalde, Espinho, onde frequentou a Escola Secundária Dr. Manuel Laranjeira, assim como a Academia de Música de Espinho.
Em 1985 iniciou o curso de Línguas e Literaturas Modernas, na variante de Estudos Portugueses e Alemães, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto e, após terminar a licenciatura, foi professora de Português no ensino básico e secundário e tradutora numa firma alemã.
Reside na Alemanha desde 1992, tendo lecionado Português Língua Estrangeira em várias universidades da Baviera e em instituições de educação e formação de adultos.
Desde 2010 é docente de Português Língua Estrangeira na Universidade Friedrich-Alexander de Erlangen-Nuremberga.
Além dos cinco mil euros do valor pecuniário, Mónica Vieira-Auer deverá ver, no próximo ano, a publicação do seu trabalho pela editora pública portuguesa, Imprensa Nacional.
Instituído em 2019, o galardão visa reforçar os vínculos de pertença à língua e cultura portuguesas e, ao mesmo tempo, homenagear um dos grandes autores portugueses do século XX, José Maria Ferreira de Castro (1898-1974).
O Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro procura “difundir o património cultural e artístico expresso em língua portuguesa, produzido por portugueses e lusodescendentes, residentes no estrangeiro, promover a língua portuguesa, assim como prestar às comunidades portuguesas dispersas pelo mundo o justo reconhecimento pelas atividades diversas que desenvolvem nos seus países de acolhimento”, refere-se no seu regulamento.
A edição do ano passado distinguiu, em ex aequo, as obras ‘Não Viajarei por Nenhuma Espanha’, do lusodescendente Marcus Quiroga Pereira (1954-2020), e ‘Uma Casa no Mundo, de Irene Marques’, portuguesa a residir em Toronto, Canadá.
Ana Grácio Pinto

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.