TAP quer assegurar retoma operacional de modo “seguro e sustentável”

Data:

A TAP quer assegurar a retoma operacional de modo “seguro e sustentável” e viabilizar o plano de reestruturação com uma nova estrutura acionista e de gestão, garantiram hoje os responsáveis pela empresa numa mensagem enviada aos trabalhadores.

“Retomar a nossa atividade com segurança e sustentabilidade e reestruturar para recuperar a nossa TAP são as nossas prioridades”, lê-se na mensagem, assinada em conjunto pelo novo presidente executivo da TAP, Ramiro Sequeira, e pelo presidente do conselho de administração, Miguel Frasquilho, com os responsáveis a sinalizarem o início de “um novo período” da história da empresa.

“Unidos e focados na missão de assegurar a retoma operacional de modo seguro e sustentável, bem como viabilizar o plano de reestruturação da TAP, com uma nova estrutura acionista e de gestão, é o nosso ponto de partida para ultrapassar, provavelmente, o maior desafio que já se colocou à TAP nos seus 75 anos de história e a toda a indústria da aviação civil, se não mesmo à Humanidade, nesta nova era”, lê-se no documento.

Miguel Frasquilho e Ramiro Sequeira reconhecem no documento a “vontade inequívoca do Estado português em auxiliar a TAP, absolutamente crítica para ultrapassar este desafio” e apelam ao contributo dos trabalhadores para se focarem no trabalho em equipa, na atenção ao cliente, na produtividade e na elevada disciplina financeira, promovendo a redução de custos, estruturais e do dia a dia.

 “Contamos com um Conselho de Administração, uma comissão executiva e uma equipa de gestão coesas e alinhadas em consolidar uma relação responsável e de confiança com todas as partes interessadas, nomeadamente colaboradores, associações sindicais e parceiros sociais, ecossistema de fornecedores e parceiros de negócio, acionistas e os clientes que escolhem viajar com a TAP todos os dias”, referem ainda.

“Estamos todos conscientes das dificuldades vividas pelo setor da aviação, a nível mundial, e temos vindo a assistir às reestruturações levadas a cabo pelas nossas congéneres”, acrescentam, referindo que as previsões da IATA apontam, no cenário mais pessimista para o próximo ano, uma atividade inferior até 60% face à do ano de 2019, o que permite antever uma retoma lenta e ter a clara noção de que, também a TAP, terá de fazer o caminho da reestruturação para garantir a sua sobrevivência.

 “Os tempos que estamos a enfrentar, e que aí vêm, não são, nem serão, fáceis. Mas, trabalhando em conjunto e unidos, com sentido de urgência, responsabilidade, assertividade e diálogo, ultrapassaremos estas dificuldades e asseguraremos o futuro sustentável da nossa TAP, continuando a ser um motor de crescimento e de desenvolvimento de Portugal”, finalizam.

O novo presidente executivo da TAP, Ramiro Sequeira, inicia funções hoje, substituindo Antonoaldo Neves no cargo que ocupava desde 2018.

Antonoaldo Neves deixa a TAP na sequência do acordo entre o Governo e os acionistas privados para a reorganização do quadro societário da TAP – com a saída de David Neeleman – e será temporariamente substituído por Ramiro Sequeira.

Em 02 julho, quando anunciou o acordo com os acionistas privados para o Estado ficar com 72,5% do capital – e a saída de David Neeleman –, Pedro Nuno Santos tinha dito que Antonoaldo Neves seria substituído “de imediato”.

O Estado português detém agora uma participação social de 72,5%, o empresário Humberto Pedrosa 22,5% e os trabalhadores os restantes 5% do grupo.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.