Idanha-a-Nova desenvolve método intuitivo de ensino do toque de adufe

Data:

A Filarmónica Idanhense desenvolveu um novo método intuitivo para ensinar crianças e jovens a tocar adufe, que tem como base 12 cantigas do concelho de Idanha-a-Nova, Cidade Criativa da Música da UNESCO.

“O Adufando é o novo método de ensino do toque de adufe a crianças e jovens. Nasceu pelas mãos da Filarmónica Idanhense, em Idanha-a-Nova, município que tem neste instrumento o símbolo maior da sua riqueza e tradição musical”, revelou, em comunicado, a Câmara Municipal deste concelho de Castelo Branco.

O projeto da Filarmónica Idanhense resulta de uma parceria com a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e o Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro, tendo surgido da necessidade de criar um método intuitivo para aplicar no ensino de adufe no 1.º ciclo do ensino básico.

Para além do ensino do toque do instrumento, o Adufando tem fichas de trabalho para possibilitar o desenvolvimento de outras capacidades, entre elas, português, artes plásticas e expressão dramática.

“Até para lecionar disciplinas como Estudo do Meio ou Matemática é possível usar este método original”, garante a autarquia, que apresenta o Adufando como “um dos primeiros métodos de ensino dedicados ao adufe, que, além de intuitivo e prático, tem uma enorme facilidade de aplicação a todas as faixas etárias, logo a partir dos três anos”.

O método é o resultado do trabalho realizado pela Filarmónica Idanhense nos campos da pesquisa, preservação e promoção do adufe, da música tradicional e das tradições do concelho de Idanha-a-Nova.

A autoria do método é de Carla Costa (toques de adufe e adaptação musical), Eugénia Lyubykh (ilustrações), João Abrantes (conceção original, toques e adaptação musical), Margarida Abrantes (toques de adufe) e Pedro Miguel Reis (adaptação musical).

Para o dia 27, está marcado o ‘workshop’ “Trabalhar com o Adufando”, que é gratuito e pretende contextualizar as múltiplas formas de utilização deste método, tanto através da plataforma como do livro.

Uma plataforma ‘online’ sobre o método está disponível em https://idanhense.wixsite.com/adufando/adufando.

A Filarmónica Idanhense lançou também recentemente o projeto Musicando, um método de ensino de música a crianças e jovens que dá primazia à imagem e às atividades lúdicas para fortalecer a aprendizagem: https://idanhense.wixsite.com/musicando.

Os projetos integram o Plano Integrado e Inovador de Combate Contra o Insucesso Escolar, promovido pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) e financiado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e UE – Fundo Social Europeu.

Idanha-a-Nova é desde 2015 uma das Cidades Criativas da Unesco, rede criada em 2004 para promover a cooperação entre centros urbanos que indicaram a criatividade como um fator estratégico para o desenvolvimento urbano sustentável.

Espalhados pelas freguesias do concelho de Idanha-a-Nova existem diversas associações e eventos musicais, a maioria ligados ao instrumento adufe, nomeadamente a Filarmónica Idanhense, o agrupamento profissional Concerto Ibérico Orquestra Barroca (CIOB), os cursos internacionais de música antiga (CIMA), festividades da Semana Santa, o festival anual Fora do Lugar e o Boom Festival.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.