Ministro diz que Metro de Lisboa está preparado para aumento de passageiros em setembro

Data:

O ministro do Ambiente e da Ação Climática assegurou hoje que o metro de Lisboa está preparado para garantir a segurança dos passageiros, em setembro, no regresso das férias e no início do ano escolar.

“Tem e teve-o no passado. Quando a covid afetou a sociedade o metro já estava a funcionar muitíssimo melhor do que há três anos. Repito, temos mais comboios a circular e um conjunto de intervenções que vão sendo feitas e completadas”, afirmou João Matos Fernandes.

O governante, que falava esta manhã aos jornalistas, após a cerimónia de reabertura do átrio norte da estação de metro do Areeiro, sublinhou que o mês de setembro será também o momento de retoma da procura, após meses de quebra devido à pandemia.

“O que nós sentimos foi uma grande quebra na procura. Tem vindo a recuperar e vamos acreditar que o mês de setembro, que é o mês do regresso às aulas, vai fazer com que essa procura também recupere”, apontou.

Nesse sentido, João Matos Fernandes ressalvou que a regra dos dois terços de ocupação “tem sido largamente cumprida no metro de Lisboa e no comum das empresas de transporte” tuteladas pelo Ministério do Ambiente (transportes urbanos).

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 832 mil mortos e infetou mais de 24,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.809 pessoas das 56.673 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A generalidade de Portugal continental continuará em alerta e a Área Metropolitana de Lisboa em contingência na primeira quinzena de setembro devido à pandemia de covid-19, passando todo o continente à situação de contingência em 15 de setembro, para que se possam definir as medidas necessárias “em cada área para preparar o regresso às aulas e o regresso de muitos portugueses ao seu local de trabalho”, disse na quinta-feira a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

Nas ilhas, no início do mês, o Governo da Madeira já anunciou a manutenção da situação de calamidade até 31 de setembro, enquanto nos Açores foi deliberado prorrogar até às 24:00 de 01 de setembro a situação de calamidade pública nas ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico e Faial (as ilhas que têm ligações aéreas ao exterior do arquipélago), bem como a situação de alerta nas ilhas Graciosa, São Jorge, Flores e Corvo.

A situação de alerta, aquela em que o país se encontrava antes de ser decretado o estado de emergência em 18 de março, é o nível mais baixo de intervenção previsto na Lei de Bases de Proteção Civil, depois da situação de contingência e de calamidade (mais elevado).

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.