Alto Minho e Arcos de Valdevez entre os melhores Destinos Verdes da Europa

Data:

O Alto Minho e Arcos de Valdevez foram reconhecidos pela Green Destinations Awards, como um dos melhores destinos verdes da Europa.

O galardão premiou “a inovação e boas práticas na gestão do turismo da região, no âmbito de uma política de sustentabilidade”, informou o executivo municipal de Arcos de Valdevez.
A autarquia, que tem investido na valorização dos valores naturais e culturais, para promover um território mais sustentável, “adquiriu também esta posição, em conjunto, com a região do Alto Minho, através da candidatura apoiada pelo município e submetida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, ao programa Green Destinations Awards”, acrescenta.
A região do Alto Minho, que tem apostado no turismo de natureza e na construção de um território sustentável, foi a primeira NUT III de Portugal a ser recompensada com platina, de acordo com os padrões do Conselho Global de Turismo Sustentável, tendo sido premiada, em 2019, com o galardão Platinum QualityCoast/Green Destinations Awards.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.