Adesão ao sistema de pagamento de portagens para viaturas de matrícula estrangeira já está disponível online

Data:

Segundo comunicado do Ministério das Infraestruturas  lançado há escassas horas, já é possível no Portal de Portagens da IP, portugaltolls.com, aderir ao sistema Easytoll, que permite aos condutores de viaturas de matrícula estrangeira que circulem em autoestradas portuguesas utilizarem os sistemas de cobrança de portagem exclusivamente eletrónicos, vulgo Pórticos.

A solução elaborada pela Infraestruturas de Portugal, S.A., vem simplificar o serviço prestado aos visitantes, por via terrestre, do país, ao permitir que a adesão ao Easytoll possa ser feita online, inclusive através de dispositivos móveis. Contando com uma divulgação internacional através do Turismo de Portugal, o novo serviço visa também uma maior eficácia na cobrança das portagens.

«Há muito que se procura uma melhor solução para a problemática das portagens para as viaturas de matrícula estrangeira, uma vez que o atual sistema de pagamento de portagens sofre de constrangimentos que afetam não só a eficácia na cobrança de portagens, como também a imagem do país junto dos que nos visitam. Trata-se de uma medida importante, que promove uma melhor experiência em Portugal», disse a Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

Para o Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, «colocar as novas tecnologias e o novo mundo digital ao serviço das pessoas é um objetivo constante da Infraestruturas de Portugal, S.A., na busca de cada vez melhores infraestruturas e de melhor qualidade dos serviços prestados. Acreditamos muito no sucesso desta medida».

O sistema Easytoll é uma solução de pagamento automático válido para veículos de matrícula estrangeira em autoestradas com sistemas de cobrança de portagem exclusivamente eletrónicos, ou seja, sem praça de portagem nas entradas e saídas, que associa um cartão bancário à matrícula do veículo.

A partir de agora, o condutor já não precisa de se deslocar a uma praça de adesão num momento prévio à sua circulação na autoestrada.

A subscrição do serviço já pode ser feita online em portugaltolls.com e é válida por 30 dias.

Sobre o Easytoll

O sistema de pagamento de portagens eletrónicas Easytoll foi desenvolvido pela IP em 2012, constituindo-se como uma solução inovadora de base tecnológica simples e segura, facilitadora do processo de adesão a um meio de pagamento de portagens, e destina-se exclusivamente aos condutores de veículos de matrícula estrangeira que circulam em autoestradas com sistemas Multi-lane Free Flow.

A IP criou quatro praças de adesão nas principais “entradas” terrestres do país, servidas por autoestradas com portagens eletrónicas (A22, A24, A25 e A28).

A solução Easytoll ganhou desde sempre uma grande recetividade por parte dos utentes, uma preferência que se traduz num incremento gradual e consistente do número de adesões ao longo dos anos. Em 2019 foram registadas cerca de 450 mil adesões ao Easytoll.

A medida agora implementada destaca-se pela flexibilidade que este novo modo de adesão introduz na solução Easytoll.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.