CNIS aponta 18 de maio como data certa para retoma das visitas a lares

Data:

O presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) considerou hoje que 18 de maio “é a data certa” para a retoma das visitas aos lares com as devidas cautelas e apesar dos receios que possam existir.

As visitas aos lares de idosos vão ser retomadas em 18 de maio, mas vão ser sujeitas a agendamento prévio e, numa fase inicial, serão limitadas ao máximo de uma visita por semana e por utente, segundo orientações dadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Lino Maia, referiu que as orientações ditadas pela DGS foram de algum modo concertadas com a CNIS.

“Penso que as medidas são exequíveis. É importante que as visitas sejam retomadas porque os nossos idosos estavam desde dia 06 de março enclausurados. Com este regresso, com a reabertura das creches, com o regresso de alguma atividade, era importante que os idosos não se sentissem esquecidos, abandonados. Portanto, o regresso das visitas é de facto importante”, disse.

O presidente da CNIS admite que há receios, mas com as devidas cautelas e com confiança acredita que “tudo vai correr bem”.

“Receios há isso não tenho a menor dúvida. Cautelas há e são importantes e a confiança é determinante, mas não tenho a menor dúvida que os nossos dirigentes e colaboradores nos lares saberão ter os devidos cuidados. Repito receios há, mas cautelas existem e a confiança é importante, para os idosos. É importarem saberem que podem receber uma visita num dia e hora a marcar”, realçou.

No entendimento de Lino Maia, 18 de maio é “momento exato” para a retoma das visitas.

“Os testes estão a ser feitos, está a decorrer um rastreio e os doentes covid-19 estão a ser tratados nos locais certos e não nos lares que são residenciais coletivas. Com estes cuidados propostos penso que não é cedo demais [a retoma das visitas]”, disse.

Numa informação publicada na segunda-feira no seu ‘site’, a DGS refere que este limite de um visitante por utente uma vez por semana poderá ser ajustado mediante as condições da instituição e a situação epidemiológica observada na zona onde o lar está localizado.

As visitas vão ter um tempo limitado, não devendo exceder os 90 minutos, acrescenta.

A orientação da DGS para a retoma das visitas a Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) e Unidades de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) prevê que as instituições garantam o agendamento prévio das visitas, para que possa ser garantida higienização entre visitas e a manutenção do distanciamento físico apropriado.

A instituição terá ainda de organizar um registo de visitantes, com indicação da data, hora, nome, contacto e residente visitado.

Os visitantes terão de “utilizar máscara, preferencialmente cirúrgica, durante todo o período de permanência na instituição”, ficando ainda impedidos de levar objetos pessoais, géneros alimentares ou outros produtos aos utentes.

Em 07 de março, a ministra da Saúde anunciou a suspensão das visitas em lares localizados na região norte e em 13 de março foi promulgado pelo Presidente da República o diploma do Governo com medidas extraordinárias e urgentes de resposta ao surto de covid-19, que contemplava a proibição de visitas a lares de idosos em todo o país.

As visitas, com início marcado para a próxima segunda-feira, dia 18 de maio, estarão sempre dependentes da situação epidemiológica observada na instituição ou no local onde esta está inserida, podendo voltar a ser suspensas por tempo limitado caso tal se verifique necessário.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.