Apoios para explorações agrícolas em Abrantes, Constância e Sardoal

Data:

Desde ontem, dia 12 de maio, as associações de desenvolvimento local e de produtores, as parcerias constituídas por pessoas singulares ou coletivas e as autarquias locais já podem submeter as suas candidaturas à componente mercados locais, da medida do PDR 2020 “Cadeias Curtas e Mercados Locais”.

Também a componente cadeias curtas está aberta para produtores com exploração agrícola até dia 30 de junho. As duas somam mais de 155 mil euros de apoio a investimentos em Abrantes, Constância e Sardoal. A TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior já tinha as candidaturas às Cadeias Curtas abertas, desde dia 27 de abril. Agora com a abertura dos Mercados Locais, ficam disponíveis para pedido de apoio as duas componentes da medida do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR 2020) 10.2.1.4. Cadeias Curtas e Mercados Locais”, no âmbito do Desenvolvimento Local de Base Comunitária Rural (DLBC Rural), através Portugal 2020 e cofinanciado pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER). Com uma dotação de mais de 80 mil euros, esta componente apoia 50 por cento dos investimentos materiais, como a criação ou modernização de infraestruturas existentes de mercados locais e relacionados com o armazenamento, transporte e aquisição de pequenas estruturas de venda. Nas despesas imateriais, a comparticipação é de 80 por cento das despesas com ações de promoção e de sensibilização para a comercialização de proximidade, que permitam escoar e valorizar a produção local, desenvolvimento de plataformas eletrónicas e materiais promocionais. Com os objetivos de promover o contacto direto entre o produtor e o consumidor, contribuindo para o escoamento da produção local, e de incentivar a práticas culturais menos intensivas e ambientalmente sustentáveis, esta componente vai estar a receber candidaturas até 10 de julho. A este aviso podem concorrer associações, cujo objeto social consista no desenvolvimento local, associações de produtores agrícolas, incluindo os agrupamentos ou organizações de produtores, parcerias constituídas por pessoas singulares ou coletivas e autarquias locais. Os projetos podem ir até aos 100 mil euros de investimento. Relembramos que as candidaturas à componente cadeias curtas são destinadas a pessoas singulares ou coletivas, a título individual ou em parceria, que sejam titulares de uma exploração agrícola e tenham um volume de negócios ou de pagamentos diretos, inferior a 100 mil euros no ano anterior ao da apresentação deste pedido de apoio. Os investimentos podem ir de 500 euros aos 50 mil euros, que além dos relacionados com o armazenamento, transporte e aquisição de pequenas estruturas de venda, as ações de sensibilização e educação para consumidores e para a comercialização de proximidade, e o desenvolvimento de plataformas eletrónicas e de materiais promocionais, também, podem ser despesas de adaptação e apetrechamento de infraestruturas, e de deslocações aos mercados locais ou a pontos de entrega específicos. Para mais informação e consulta dos avisos de concurso e legislação aplicável aos projetos a implementar em Abrantes, Constância ou Sardoal, deve ir ao sítio na Internet da TAGUS (www.tagus-ri.pt) ou do PDR2020 (www.pdr-2020.pt).

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.