Museu do Aljube pede ao público “memórias de Abril” para partilhar no dia 25

Data:

O Museu do Aljube Resistência e Liberdade, em Lisboa, lançou hoje um apelo ao público para que registasse vídeos ou textos com memórias do 25 de Abril.
O objectivo é serem partilhados com o museu, por e-mail (info@museudoaljube.pt) ou mensagem de ‘Facebook’ (https://www.facebook.com/museudoaljube/).
O apelo surge por o museu estar fisicamente encerrado, devido à pandemia de Covid-19, e pretender, ainda assim, abrir “as portas através do Facebook” para assinalar o 25 de Abril.
“Memórias, histórias que nos queiram contar, momentos que queiram partilhar” sobre Abril podem ser partilhados com o museu, através de vídeos com um máximo de dois minutos ou em texto, explicam os responsáveis.
As histórias têm de chegar ao museu até dia 15 para que a 25 de Abril algumas sejam partilhadas na conta do museu na rede social ‘Facebook’, juntamente com as histórias existentes em arquivo.
Museu do Aljube Resistência e Liberdade é um museu municipal que pretende preencher uma lacuna no tecido museológico português, sobre a ditadura que Portugal viveu entre 1926 e 1974.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.