Covid-19: Setor automóvel com quebras de 80% exige plano específico de apoio

Data:

O setor automóvel exigiu hoje um plano específico de apoio, garantindo ser “um dos mais afetados” pela pandemia, com quebras de 80% no mercado de ligeiros de passageiros, mas não ter merecido “qualquer particular atenção do Governo”.

“O setor automóvel é, sem dúvida, dos mais afetados por esta grave crise”, sustenta a Associação Automóvel de Portugal (ACAP) em comunicado, salientando que, de 01 a 14 de abril, o mercado de ligeiros de passageiros teve uma queda de 86% (com 838 veículos matriculados, contra 6.208 no período homólogo de 2019), o que representa uma perda estimada de 15 milhões de euros em receitas para o Estado.

Segundo a ACAP, a este facto acresce que “a maioria destas matrículas correspondem a encomendas efetuadas antes de 16 de março, ou seja, a partir desta data a queda foi sempre na ordem dos 80%”.

Já no mercado de viaturas usadas, alerta, “a situação é mais complicada ainda, porque depois daquela data as vendas estagnaram completamente”.

Neste contexto, a associação diz ter proposto ao Governo “a tomada de medidas para, por um lado, minimizar o impacto desta crise e, por outro, relançar a procura”.

Estas propostas, sustenta, “exigem a criação de um plano de apoio ao setor automóvel, como um dos mais afetados e que, até ao momento, ainda não teve qualquer particular atenção do Governo, tal como aconteceu noutros setores”.

Entre as medidas reclamadas pela ACAP estão a duplicação “imediata” da dotação da linha de apoio à compra de veículos elétricos e a criação de uma linha de crédito específica para as empresas do setor, “com uma parte do capital a fundo perdido”.

Em linha com o que “está a acontecer noutros países”, a associação defende ainda que seja equacionado pelo Governo o lançamento de um plano de incentivo ao abate de veículos em fim de vida.

Segundo a associação, este plano de incentivo “deverá ter uma dupla aplicação”: “Por um lado, apoiar a retirada de circulação de veículos com mais de doze anos pela compra de um veículo novo de baixas emissões e, por outro, permitir a troca de um veículo usado por outro veículo que, embora usado, cumpra uma Norma Euro de emissões mais recente”.

Adicionalmente, a ACAP diz continuar “a aguardar a resposta do Governo à sua proposta de suspensão de pagamento de IUC [Imposto Único de Circulação]”, já apresentada “há três anos”.

Responsável por 21% do total de receitas fiscais e por 25% das exportações de bens transacionáveis, o setor automóvel representa 19% do Produto Interno Bruto (PIB) e emprega diretamente 200.000 pessoas.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou quase 127 mil mortos e infetou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 428 mil doentes foram considerados curados.

 

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.