Forças Armadas receberam, até ao momento, cinco mil voluntários para ajudar

Data:

As Forças Armadas receberam, até ao momento, 5.000 candidaturas de voluntários para ajudar na resposta à pandemia de covid-19, informou hoje o Ministério da Defesa Nacional.

Os voluntários poderão ser colocados em 18 unidades militares dos três ramos (Exército, Marinha e Força Aérea) identificadas pelo Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) no seu “site” (www.emgfa.pt/Paginas/COVID-19-Voluntarios.aspx), de acordo com uma nota do ministério.

No dia 19 de março, o EMGFA fez um apelo à “família militar” – militares na reserva e na reforma e respetivos familiares, civis e ex-militares e familiares – para que ajudem a instituição no “reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.

O apelo era dirigido a médicos, farmacêuticos, enfermeiros, psicólogos, técnicos auxiliares de ação médica, entre outros profissionais de saúde, mas também a voluntários com outras formações para “outras funções de apoio”.

Se alguma das “capacidades disponibilizadas venha a ser ativada pelo SNS”, as Forças Armadas disponibilizam “a lista de voluntários inscritos e a respetiva formação e competências profissionais”.

As Forças Armadas disponibilizaram 2.300 camas para reforçar a capacidade do Serviço Nacional de Saúde, “2.000 poderão ser utilizadas para prestar cuidados de saúde, não diferenciados” e 300 camas para apoiar os profissionais do SNS”, precisou a nota do Ministério da Defesa.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.