UTAD integra projeto europeu sobre práticas de prevenção e riscos em alterações climáticas

Data:

A Universidade de Tras-os-Montes e Alto Douro (UTAD) integra a o projeto europeu ‘Triple-C INTERREG Espaço Atlântico’, que pretende selecionar as melhores práticas encontradas em projetos europeus sobre prevenção e gestão de riscos decorrentes das alterações climáticas.
“O objetivo é reunir resultados para que sejam tomados em consideração pelas políticas regionais e europeias e torná-los úteis para as orientações da próxima geração de Programas de Cooperação Transnacionais”, explica a UTAD numa nota enviada ao ‘Mundo Português’.
Cofinanciado pelo Programa Interreg Espaço Atlântico 2014-2020, o projeto tem um orçamento de 1,6 milhões de euros, dos quais 75% provenientes do Espaço Atlântico, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.
Para além da UTAD, integram o projeto a Universidade de Coimbra, o Instituto Vasco de Investigación y Desarrollo Agrario, a L’Association Climatologique de la Moyenne-Garonne et du Sud-Ouest, a Chambre d’Agriculture de la Dordogne, a Westcountry Rivers Trust, a Limerick Institute of Technology, o Consejo Superior de Investigaciones Científicas.
A equipa da Universdade transmontana reune oito cientistas de três Centros de Investigação – CITAB, CIDESD e CGEO, um dos quais Ronaldo Gabriel que representa a UTAD no Consórcio.
Um dos objetivos dos responsáveis pelo projeto é o intercâmbio de boas práticas e experiências entre os parceiros, a identificação de barreiras e possíveis soluções e a formulação de recomendações, com base nas informações obtidas, informa a UTAD, acrescentando que se destina também “a garantir a máxima visibilidade dos produtos, metodologias, atividades e resultados de projetos a nível europeu”.

Plataforma para reunir a informação

Para que o intercâmbio de de boas práticas se realize, a equipa do prjeto esrupeu para lançar a plataforma ‘Triple-C’, “que reunirá informação sobre os projetos capitalizados e será fonte útil de informação sobre as iniciativas de adaptação às alterações climáticas bem sucedidas”.
A plataforma vai compartilhar as melhores práticas de gestão e prevenção de riscos associados às alterações climáticas em toda a Europa.
“Será desenvolvida, publicada e mantida durante a execução do projeto e, também, cinco anos após a conclusão, permitindo que profissionais e autoridades locais, regionais e nacionais possam aceder à informação nela contida, ao longo do tempo”, revela ainda a nota da UTAD.
O Triple-C incluirá também um diagnóstico do impacto dos projetos capitalizados, com conclusões e recomendações.
“As atividades realizadas pelos parceiros dará origem a uma rede, dentro da qual também serão contatados os projetos selecionados pelas melhores práticas, a fim de fortalecer as capacidades dos planos e estratégias de ação sobre alterações climáticas”, revela a UTAD.
O projeto encerra com a realização de uma conferência em Bruxelas, destinada a comunicar que a integração da mitigação, com a adaptação às alterações climáticas, e a gestão e prevenção de riscos enquadrados nas políticas regionais, nacionais e setoriais da União Europeia e nos fundos da União Europeia, é um fator essencial para o sucesso das políticas globais.
Mais informação sobre o projeto estão disponíveis em https://www.triplecproject.eu/

Ana Grácio Pinto

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.