Movimentos cívicos pedem transparência ao Governo sobre a exploração de lítio

Data:

Dezoito associações e movimentos cívicos das regiões no Norte e Centro afetadas pela eventual prospeção e exploração de lítio entregaram uma Carta Aberta ao Governo com o pedido “urgente para estabelecer transparência e participação pública” no processo.

Segundo uma nota do Movimento ContraMineração Beira Serra (que abrange os concelhos de Seia, Gouveia, Mangualde, Oliveira do Hospital, Fornos de Algodres, Celorico da Beira e Nelas), os subscritores do documento exigem do Governo “transparência” e “uma visão de longo prazo para zonas rurais”.

A Carta Aberta realça o “pedido urgente de estabelecer transparência e participação pública” e exige “a publicação da existente proposta do Decreto-Lei”.

“No passado dia 10 de fevereiro, 17 Associações e Movimentos entregaram um ‘Pedido de transparência pública no âmbito da apresentação da nova lei das minas às autarquias’ ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC). No documento, manifestámos a nossa profunda apreensão relativamente ao procedimento opaco na atribuição de direitos de prospeção, pesquisa e exploração de lítio e minerais associados em vastas áreas do território nacional, seja por via do procedimento concursal do Estado, seja por requerimento de entidades terceiras”, lê-se no documento enviado à agência Lusa.

Segundo os signatários, “para assegurar uma maior transparência” solicitaram a divulgação das datas do roteiro de apresentação às autarquias e a participação pública nas apresentações, mas, até à data, estão “sem resposta”.

Para além do “pedido de transparência”, os movimentos também declaram a sua oposição à retirada de poder decisório às autarquias locais prevista no Decreto-Lei, “numa altura em que se promove a transferência de competências para as autarquias em tantas matérias”.

No documento reconhecem ainda “a urgência da descarbonização da economia e do desenvolvimento de estratégias para mitigação das mudanças climáticas”, mas não consideram que as propostas de mineração “representem um contributo válido para o desenvolvimento sustentável” do território.

“Ao contrário, acreditamos que serão causa de declínio económico e de agravamento da emigração. Estamos convencidos que as nossas regiões podem antes ser pioneiras de um desenvolvimento genuinamente sustentável e exigimos dos nossos representantes políticos uma visão de longo prazo para os nossos territórios rurais e de montanha”, é defendido.

A Carta Aberta dirigida ao primeiro-ministro, António Costa, foi entregue, no sábado, em Seia, Guarda, na abertura da Feira do Queijo, ao secretário do Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, por elementos do Movimento ContraMineração na Beira Serra e Movimento de Cidadãos por Uma Estrela Viva, em representação de todos os movimentos e associações a nível nacional “que se empenham a favor de uma participação cívica e de uma visão sustentável do desenvolvimento rural das suas regiões”.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.