Alex Botelho deixa cuidados intensivos e vai recuperar no serviço de pneumologia

Data:

O surfista Alex Botelho deixou a Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) do Hospital de Leiria e vai continuar a recuperação no serviço de pneumologia, revelou fonte da organização da prova de ondas Gigantes Nazaré Challenge.

“A situação clínica do surfista Alex Botelho continua a melhorar. Deixou hoje a UCI do Hospital de Leiria e vai continuar a recuperação no serviço de pneumologia”, informou fonte da organização da prova, disputada na passada semana, na Praia do Norte.

Alex Botelho sofreu um acidente durante a prova, tendo ficado inconsciente, na Praia do Norte, depois de a mota de água, na qual seguia acompanhado do também português Hugo Vau, ter sido atingida por uma onda que deixou o surfista inconsciente durante cerca de dois minutos, altura em que foi resgatado do mar.

No campeonato, que aproveitou as ondas com cerca de 20 metros, a equipa de segurança e resgate na água, encabeçada pelo brasileiro Edilson Assunção, conhecido pela alcunha de ‘Alemão de Maresias’, foi distinguida com o prémio “compromisso”.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.