Jorge Braz quer três vitórias na Ronda de Elite de futsal para cumprir “obrigação”

Data:

O selecionador português de futsal, Jorge Braz, considera uma “obrigação” Portugal estar no Mundial2020 e aponta a um objetivo claro na Ronda de Elite de qualificação, vencer os três jogos, perante Bielorrússia, Finlândia e Itália.

“Temos a noção da dificuldade para garantir a qualificação. Cada vez mais essas dificuldades aumentam, mas sabemos muito bem o que queremos. Não é quase uma obrigação, é mesmo [uma obrigação]. Mais até pelo desejo fortíssimo de todos em estar num grande palco como um Mundial, em que estamos habituados a estar nos últimos anos”, disse Jorge Braz, em entrevista à agência Lusa.

Depois de ter passado a Ronda Principal com um percurso 100% vitorioso, frente a República Checa, Letónia e Alemanha, Portugal vai ser o anfitrião do grupo A da Ronda de Elite de qualificação para o Mundial2020, na Lituânia.

Na Póvoa de Varzim, a ‘equipa das quinas’ vai ter pela frente Bielorrússia, Finlândia e Itália, sendo que o objetivo luso “é muito claro”, segundo Jorge Braz.

“Vão ser três jogos dificílimos, queremos começar com três pontos, ter seis no segundo dia e nove no final. Não há dúvidas. Mentalmente sabemos muito bem o que temos de fazer: três jogos, nove pontos e qualificarmo-nos para o Mundial”, vincou à Lusa.

Mesmo com o estatuto de campeão europeu em título, Jorge Braz considera que Portugal tem de “acrescentar algo mais” ao seu trajeto: “O que fizemos foi fantástico, é histórico e algo de que nos orgulhamos, mas, para estarmos num Mundial e com as expectativas que nós sabemos bem quais são, temos de ir acrescentando algo mais ao que fizemos.”

No grupo A da Ronda de Elite, a seleção nacional vai defrontar três adversários “distintos”, mas que vão colocar “bastantes dificuldades”, sendo que o último será a Itália, equipa que Jorge Braz coloca, “teoricamente, num nível acima” de Bielorrússia e Finlândia.

“A Itália continua com jogadores de top mundial, como o Merlim [jogador do Sporting] ou o [guarda-redes] Mamarellla, mudou de selecionador, reorganizou toda a estrutura, estão a querer construir um novo ciclo. Não vai é ser já. Que esperem um bocadinho”, disse, entre sorrisos.

Contudo, salientou que a Bielorrússia, primeiro opositor da equipa lusa no Ronda de Elite, “tem evoluído imenso” e que “a Finlândia tem organização e um selecionador muito experiente”.

Portugal defronta a Bielorrússia na quinta-feira, a Finlândia na sexta-feira e a Itália no domingo, em jogos que serão realizados na Póvoa de Varzim.

Da Europa, apuram-se para o Mundial da Lituânia, que vai decorrer entre 12 de setembro e 04 de outubro, os primeiros classificados dos quatro grupos da Ronda de Elite, e os vencedores dos ‘play-offs’ a disputar entre os quatro segundos classificados.

Portugal procura a sua sexta participação consecutiva num Mundial, depois das presenças em 2000 (Guatemala), 2004 (Taiwan), Brasil (2008), Tailândia (2012) e Colômbia (2016), sendo que o melhor resultado ocorreu precisamente na primeira participação, com um terceiro lugar na Guatemala.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.