Município de Fornos de Algodres distribuiu licenças da “Escola Virtual” aos alunos do 1.º ciclo

Data:

O município de Fornos de Algodres distribuiu licenças digitais da “Escola Virtual da Porto Editora” a todas as crianças que frequentam o 1.º Ciclo do Ensino Básico da rede pública do concelho.

Segundo a autarquia, que também ofereceu 10 computadores portáteis à escola do 1.º Ciclo de Fornos de Algodres, “o serviço educativo ‘Escola Virtual’ é uma plataforma digital que disponibiliza um conjunto diversificado de ferramentas, conteúdos e recursos multimédia que contribuem não só para a melhoria da qualidade da aprendizagem, mas também para a adaptação das crianças a um novo mundo, claramente marcado pela revolução tecnológica na educação”.

Com o apoio disponibilizado “pretende-se dotar os alunos de ferramentas digitais facilitadoras que permitam às crianças condições necessárias de conhecimento, que por sua vez conduzam ao sucesso escolar”, de acordo com o presidente da Câmara Municipal de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca.

fotografia Escola Virtual

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.