O novo administrador financeiro da AstraZeneca Portugal é Carlos Pinto

Data:

O novo administrador financeiro (CFO) da AstraZeneca Portugal é Carlos Pinto, substituindo Pedro Nunes, que assumiu o cargo de CFO na AstraZeneca Rússia, disse a empresa biofarmacêutica global em comunicado.

Carlos Pinto desempenhava funções no grupo Johnson & Johnson no Reino Unido, como Financial Planning and Analysis Manager da região da Europa, Médio Oriente e África (EMEA), lê-se na nota informativa.

Licenciado em Contabilidade e Gestão pelo Instituto Militar dos Pupilos do Exército, Carlos Pinto é mestre em Contabilidade, Administração e Impostos pelo Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa (ISCAL) e fez uma pós-graduação em Contabilidade, Impostos e Finanças Empresariais no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG).

Com 16 anos de experiência no setor farmacêutico, Carlos Pinto passou também pela Janssen Cilag e Mepha, onde desempenhou funções nacionais e internacionais.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.