Mural de arte urbana presta homenagem aos bombeiros na Guarda

Data:

Um mural de arte urbana de grandes dimensões pintado no quartel dos Bombeiros da Guarda, para prestar homenagem aos “soldados da paz” locais e de todo o país, é um “orgulho” para a corporação.

A pintura foi executada pelo ‘urban artist’ Rojo, com a colaboração de Hugo Lomas, na parede da torre de treino do quartel dos bombeiros, numa iniciativa da Câmara Municipal da Guarda, do Museu e da direção da Associação Humanitária.

“A temática remete para a simbologia dos ‘soldados da paz’: a mitológica Fénix convertida em bicefalia e a proteção da humanidade”, de acordo com os promotores.

O mural, com cerca de 12 metros de altura e seis de largura, foi pintado entre sábado e quarta-feira, segundo Carlos Gonçalves, presidente da direção dos Bombeiros Voluntários da Guarda.

O responsável contou que a ideia partiu do corpo de bombeiros que disponibilizou, ao Museu e à Câmara Municipal, a parede da torre de treino que está virada para sul, que é visível por quem entra na cidade pela Estrada Nacional 16 (EN 16), para acolher uma das pinturas murais realizadas anualmente durante o Simpósio Internacional de Arte Contemporânea.

O município aceitou o desafio e tratou do processo de execução da obra de arte urbana, cujo motivo está relacionado com “o mito da Fénix”.

“A Fénix, na sua aceção bicéfala, representa os bombeiros. A mulher desenhada representa o lado sensível da vida, a natureza, os bosques, a humanidade. O arco gótico representa a Guarda”, explicou o vereador com o pelouro da cultura na Câmara Municipal da Guarda, Victor Amaral.

Segundo o autarca, a ideia para a homenagem surgiu porque os voluntários têm colaborado com o Museu e, recentemente, o comandante “solicitou uma pintura para o edifício dos bombeiros”.

“O tema escolhido foi uma homenagem aos bombeiros a partir da Guarda. O Museu indicou o nome, contactou o artista Rojo, pois teria de ser um artista urbano habituado a murais de grandes dimensões”, disse, acrescentando que “o artista Hugo Lomas auxiliou na parte da representação arquitetónica”.

A pintura é “um orgulho” para a direção e para o corpo de bombeiros da cidade mais alta do país.

“É uma obra não só para os bombeiros, mas para toda a cidade. Só engrandece as instalações da nossa associação e também a cidade e os bombeiros”, disse o presidente Carlos Gonçalves.

O comandante Paulo Sequeira também considera que a obra de arte resultou num “trabalho magnífico”: “É uma homenagem espetacular a todos os bombeiros da Guarda e do país”.

O responsável referiu que existem outras pinturas murais com motivos mais “tradicionais” associados aos “soldados da paz”, mas a da Guarda é “particular”, porque “saiu inteiramente da ideia e da mente dos artistas”.

O comandante vaticina que o mural de grandes dimensões contribuirá para sensibilizar as pessoas, “de uma forma mais premente”, para a causa do voluntariado.

A nova obra de arte urbana vem juntar-se a outras que já existem na Guarda com motivos diversos, como a Ribeirinha (figura associada ao rei Dom Sancho I, fundador da cidade), Sacadura Cabral, Nuno de Montemor, Vergílio Ferreira, Eduardo Lourenço e Augusto Gil.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.