Tecnológica MTDHOUSE abre filial em Portugal para conquistar negócios na Europa

Data:

O grupo brasileiro MTDHOUSE, que atua na área das tecnologias de informação e desenvolvimento de sistemas, abriu uma filial em Portugal com o objetivo de conquistar negócios no território português e no resto da Europa.

Em comunicado, o grupo explica que desenvolve projetos para grandes organizações, instituições empresariais e governos em diferentes partes do mundo, onde atua diretamente ou como parceira de outras empresas, como a Unisys, a NEC, a IBM, a Microsoft, ou a Imprensa Nacional-Casa da Moeda.

Citado no comunicado, o acionista principal da MTDHouse Systems, Mauro Franco, assume que Portugal e a Europa “podem consolidar as operações do grupo e abrir possibilidades de mais parcerias para o desenvolvimento de projetos em qualquer parte do mundo”.

“Acreditamos que o nosso conhecimento de países como o Brasil e Angola serão, também, uma mais-valia para as empresas europeias e entre as quais se contam, obviamente, as portuguesas”, acrescenta Mauro Franco.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.