Vagos Metal Fest propõe quatro dias de metal do “mais extremo ao mais divertido”

Data:

Vagos Metal Fest propõe quatro dias de metal do “mais extremo ao mais divertido”O festival Vagos Metal Fest, que começa hoje e decorre até domingo na zona de Aveiro, propõe quatro dias de metal “desde o mais extremo ao mais divertido”, assumindo-se como um evento “eclético” dentro daquele género musical.

“É um festival muito eclético dentro do metal, desde o mais extremo ao mais divertido queremos conciliar todos os géneros”, disse à agência Lusa João Jesus, da organização do festival que cumpre este ano a quarta edição.

A edição 2019 do Vagos Metal Fest propõe um cartaz de 38 bandas em dois palcos, no recinto instalado no parque municipal da Quinta do Ega, junto ao rio Boco, no centro de Vagos, cerca de 10 quilómetros a sul da cidade de Aveiro.

João Jesus assume que a atual edição “é o culminar de um trabalho de quatro anos” e que o festival “tem tido um crescimento gradual, muito gratificante”.

“Ressuscitámos o metal em Vagos e este ano é a maior edição de sempre: É com muito orgulho que vemos as pessoas a aderir cada vez mais”, afirmou o organizador.

Os promotores têm sentido um crescimento “muito acentuado” do público estrangeiro – em 2018, cerca de 15% dos 18 mil espetadores deslocaram-se de fora de Portugal – e, este ano, esperam que esses números se mantenham e possam até vir a aumentar.

“Recebemos pessoas do Brasil, Canadá, EUA ou Inglaterra, que vêm quer pela seleção de bandas quer pelo perfil do festival. Estamos a conseguir transmitir a mensagem e o conceito que nos move e a beleza de Vagos, são quatro dias muito bem passados, num local fantástico, com um rio belíssimo e atividades náuticas gratuitas e uma planície verdejante”, assinalou.

“São quatro dias em estado de alegria, desde o momento em que as portas abrem até que fecham é diversão garantida”, garantiu João Jesus.

No cartaz destaca-se a banda norte-americana Six Feet Under, considerada uma das mais importantes formações de death metal das últimas duas décadas a nível mundial, que se estreia sexta-feira em Portugal.

Fundados em 1993 na Florida, os Six Feet Under são liderados pelo vocalista Chris Barnes, ex-Cannibal Corpse, o único que se mantém da formação original.

“Os Six Feet Under são uma das mais importantes bandas de death metal das últimas duas décadas, tendo na voz de Barnes o principal fator que os diferencia das demais afetas a este género”, assinala a organização na página internet do evento.

“Espera-se um ambiente único em Vagos para assistir a este concerto inédito no nosso país”, acrescenta.

Os Candlemass, banda de doom metal, lideram o cartaz de hoje e a organização espera uma “imponente e memorável atuação” depois do regresso à banda sueca de Johan Langqvist, vocalista no álbum de estreia, lançado em 1986.

No cartaz de hoje destaca-se ainda a banda ucraniana de ‘metalcore’ Jinger, que está a celebrar dez anos de carreira.

Sexta-feira, para além dos Six Feet Under, o cartaz inclui os alemães Primal Fear e os suecos Waitan, uma das bandas de black metal recentemente acusadas de ter simpatias nazis.

No sábado, um dos destaques do Vagos Metal Fest vai para os noruegueses Satyricon, uma das bandas “mais importantes e resilientes da subcultura black metal”, cuja carreira tem quase 30 anos, e domingo sobem ao palco principal, entre outros, os finlandeses Stratovarius e os britânicos Napalm Death.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.