Conselho da Diáspora Açoriana vai ter 33 elementos

Data:

O secretário do Governo dos Açores com a tutela das relações internacionais declarou hoje que o Conselho da Diáspora Açoriana, já parlamentarmente aprovado, irá integrar 33 elementos, pertencendo dois terços destes à diáspora.

“Em 33 conselheiros, dois terços são membros da diáspora, sendo dezanove conselheiros a eleger pelas açorianas e pelos açorianos no mundo, e menos de um quarto são membros do Governo [Regional] ou da Administração Púbica regional”, disse hoje Rui Bettencourt, falando no parlamento dos Açores no debate em torno deste órgão.

Os 19 conselheiros a eleger pelos açorianos da diáspora, acrescentou o governante, “estão distribuídos por áreas geográficas onde a presença açoriana é mais expressiva”: cinco nos Estados Unidos; cinco no Canadá; cinco no Brasil; um representante dos açorianos da Bermuda, um no Uruguai, um no território nacional, fora do arquipélago, e outro no resto do mundo.

“Temos consciência dos desafios que teremos pela frente, na divulgação e na explicitação deste Conselho da Diáspora. Será um trabalho de terreno, para o qual contamos com uma forte implicação de todos. Trabalharemos com mais de 1000 entidades (…) e em particular as Casas dos Açores, que são, naturalmente, parceiras do Governo dos Açores, nesta estratégia de afirmação dos açorianos da diáspora”, concretizou o secretário regional do executivo socialista.

E prosseguiu: “Este é o momento para criar um mecanismo que vise o reconhecimento, como açorianos, daqueles que se identificando à nossa região, desejam nela participar”.

A proposta de criação do Conselho da Diáspora Açoriana havia sido anunciada pelo presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, numa visita às comunidades da Califórnia em fevereiro deste ano, e o texto que formaliza o órgão foi hoje aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa dos Açores.

O hemiciclo açoriano foi globalmente elogioso para com a iniciativa, com o deputado do CDS-PP Artur Lima a recordar passagens pela diáspora onde era “evidente” o “carinho e a alegria” de quem recebia comitivas de açorianos.

“Nota-se o amor, e não é excessiva a palavra, que [as comunidades] têm aos açores, à sua terra. E mesmo em segundas e terceiras gerações, pessoas que nunca vieram aos Açores, há esse carinho, uma coisa extraordinária”, disse.

O PSD, pela deputada Elisa Sousa, sustentou ser necessário o criar de “instrumentos que possam aproximar os Açores dos açorianos no mundo”, como é disso exemplo o conselho hoje aprovado.

A parlamentar advogou ainda ser importante criar “condições para atenuar a distância” dos que estão fora, sendo que “por vezes” esse afastamento “é mais físico que outra coisa qualquer”.

O Bloco de Esquerda, pelo deputado António Lima, defendeu que o “estreitar de laços” entre a região e as comunidades emigradas “deve fazer parte das opções políticas da região, do Governo Regional”.

O bloquista falou depois no caso dos Estados Unidos e da atual política face aos emigrantes, temendo que “amanhã” os “inimigos” do país sejam os “emigrantes que já lá estão” e não só os que tentam chegar do México.

Pelo PPM, o deputado Paulo Estêvão, foi sublinhada a diáspora como “cada vez mais influente” em cargos políticos nos vários países em que se encontra: “A comunidade açoriana é uma comunidade de sucesso em muitos destes países”, prosseguiu.

O monárquico destaca ainda o “capital de apoio e simpatia” dos açorianos pelo mundo para fortalecer a região, faltando ainda, advoga, “potenciar do ponto de vista económico e político todo este capital”.

O PS, partido que apoia o executivo regional, valorizou, através do deputado José San-Bento, o “novo patamar, o patamar nunca antes alcançado, de relacionamento entre a região” e as comunidades açorianas que agora pode ser estabelecido com a criação do Conselho da Diáspora Açoriana.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.