Matosinhos em Jazz regressa em julho e inclui Salvador Sobral e Ricardo Toscano

Data:

O festival Matosinhos em Jazz regressa em julho àquela localidade do distrito do Porto com um cartaz que inclui os músicos portugueses Salvador Sobral, Ricardo Toscano, Bruno Pernadas e o israelita Avishai Cohen.

O Matosinhos em Jazz, que arranca a 06 de julho e é de entrada livre, além de concertos inclui uma exposição, na qual quatro artistas portugueses – Bráulio Amado, Kruella D’Enfer, Catarina Glam e Pedro MKK – recriam capas icónicas de discos de jazz, de acordo com a promotora da iniciativa, num comunicado divulgado.

Os concertos acontecem nos sábados e domingos de julho, às 18:00.

No primeiro fim de semana do festival, a 06 e 07 de julho, atuam, respetivamente, o saxofonista Ricardo Toscano, que “apesar da tenra idade (25 anos) destaca-se há muitos anos pelo seu arrojo artístico e visão progressiva do jazz”, e a cantora Inês Pimenta, que irá apresentar o álbum “Son of Daedalus”.

Para o segundo fim de semana, a 13 e 14 de julho, estão agendadas as atuações, respetivamente, do pianista britânico Joe Armon Jones, “que representa a nova cena jazz do Reino Unido”, e do guitarrista Bruno Pernadas, que irá “apresentar o seu multifacetado trabalho musical com incursões várias a nível estilísticos que viajam do jazz ao afrobeat passando pela improvisação.

No terceiro fim de semana, a 20 e 21 de julho, haverá concertos, respetivamente, do cantor Salvador Sobral, que irá apresentar o seu mais recente trabalho, “Paris, Lisboa”, e da trompetista Susana Santos Silva, que atuará com uma formação que inclui saxofone alto, flauta, piano, contrabaixo e bateria.

Nos três primeiros fins de semana, os concertos decorrem no coreto situado em frente à Câmara Municipal de Matosinhos, enquanto o “grande encerramento” do Matosinhos em Jazz acontece no último fim de semana de julho, na Praça Guilhermina Suggia.

No dia 26, a Orquestra Jazz de Matosinhos convida a cantora holandesa Fay Claasen. “Uma voz única que se une numa só entidade sonora com a Orquestra Jazz de Matosinhos numa noite especial”, refere a organização.

A última noite do festival, a 27 de julho, fica a cargo do contrabaixista israelita Avishai Cohen, “uma das maiores referências contemporâneas no contrabaixo de jazz, sendo compositor e vocalista”, com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música.

Durante todo o mês de julho, no Jardim Basílio Teles, junto à Câmara de Matosinhos, estará patente a exposição na qual Braulio Amado, Kruella D’Enfer, Catarina Glam e Pedro MKK recriam capas de discos de jazz.

O designer Bráulio Amado irá recriar a capa de “Naked City”, álbum do saxofonista norte-americano John Zorn, que data de 1990. Às artistas Kruella D’Enfer e Catarina Glam caberá recriar, respetivamente, os álbuns “Latin in Satin” (1958), da cantora norte-americana Billie Holiday, e “Brilliant Corners” (1957), do pianista norte-americano Thelonious Monk. O fotógrafo Pedro MKK irá recriar a capa de “Getz/Gilberto” (1963), do saxofonista norte-americano Stan Getz e do cantor brasileiro João Gilberto.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.