Já visitou o Palácio da Cidadela de Cascais?

Data:

A história do Palácio da Cidadela, na vila de Cascais remonta ao tempo da fortaleza onde está inserido e começa em 1488, no reinado de D. João II, quando é construída a torre de Santo António – uma estrutura militar.
Em 1641, um ano após a restauração da independência do domínio espanhol, já com o rei D. João IV, iniciou-se a construção da grande Cidadela. Nessa altura adquiriu, no essencial, o aspeto que hoje mantém: a porta de armas, as muralhas e as baterias (lugar de onde se disparavam os canhões), os edifícios e a capela de Nossa Senhora da Vitória.
E até aos dias de hoje, a história do palácio da Cidadela cruzou-se com a história de reis e chefes de Estado portugueses
De antiga casa do governador da fortaleza, passou a ser conhecido, em 1870, como Real Paço de Cascais, no reinado de D. Luís. Com D. Carlos, Cascais e a Cidadela ganharam uma nova vida, graças à moda da ‘ida a banhos’.
Em 1910, na mudança de regime, transitou para a Presidência da República, e foi utilizado pontualmente por chefes do Estado.
Foi habitado por vários Presidentes da República Portuguesa – de Manuel de Arriaga a Bernardino Machado, na I República, ou Óscar Carmona que ali fixou residência oficial, durante o Estado Novo.
Depois, o Palácio passou por um longo período de incerteza e de quase abandono, mas em 2004, o Museu da Presidência da República iniciou um estudo aprofundado sobre aquele edifício histórico que permitiu reconstituir a sua memória histórica, na sua dimensão construtiva, artística, iconográfica e vivencial.
Por iniciativa do então Presidente Aníbal Cavaco Silva, passou por um processo de reabilitação conduzido pela Presidência da República, entre 2077 e 2011, com verbas disponibilizadas pelo Turismo de Portugal, que culminou na sua abertura ao público em 2011 e pela primeira vez na história.

Por recantos de património

O Palácio da Cidadela de Cascais oferece um programa cultural variado, como exposições temporárias e visitas guiadas ao palácio e capela. O objetivo é dar a conhecer um património de grande significado, pela sua história, arquitectura e localização privilegiada na baía de Cascais.
Há três espaços de particular interesse: a Sala Árabe, construída na década de 1870 para D. Luís e D. Maria Pia, com o teto a reproduzir um padrão do Palácio de Alhambra, em Espanha; a Sala de Jantar, com decoração de finais do século XIX, já no reinado de D. Carlos e onde sobressaem os trabalhos em madeira do teto, aparadores e paredes; o Pátio de Honra, que no reinado de D. Luís passou a unir três corpos distintos da fortaleza para formarem o então Real Paço da Cidadela – a bateria (à esquerda), a casa do governador (ao centro) e o pavilhão de Santa Catarina (à direita).
Os visitantes podem percorrer as salas de aparato do Palácio, a capela de Nossa Sra. da Vitória, o antigo quarto do rei D. Luís ou a sala árabe, que serviu de gabinete de trabalho ao Presidente Craveiro Lopes.
As marcações são efectuadas através do número de telefone 213614980, do email museu@presidencia.pt ou ainda presencialmente na Loja do Museu no Palácio da Cidadela.
A visita guiada ao Palácio da Cidadela acontece de quarta-feira a domingo (excepto feriados) pelas 11h30, e não há limite mínimo de visitantes. A entrada é feita pela Avenida D. Carlos ou pelo Passeio Maria Pia.
O Palácio da Cidadela está aberto de terça-feira a domingo, das 10h às 13h e das 14h às18h. Encerra à segunda-feira e nos feriados de 1 de janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de maio e 25 de dezembro.
As visitas ao palácio custam 4 euros para o público geral, 2,5 euros para estudantes, idosos e reformados. Os bilhetes família custam 12 euros (5 pessaos) e 20 euros (9 pessoas).
O bilhete conjunto para visitas ao palácio e às exposoções temporárias custa 5 euros para o público geral, 3,5 euros para estudantes, idosos e reformados. Os bilhetes família custam 15 euros (5 pessaos) e 25 euros (9 pessoas).
As entradas são gratuitas para crianças até aos 14 anos.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.