Festival de Máscara Ibérica volta a espalhar cor e tradição nos jardins de Belém

Data:

O Festival Internacional da Máscara Ibérica regressa ao Jardim da Praça do Império, em Belém de quinta a domingo.
Todos os anos, o FIMI reúne em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, grupos de rituais tradicionais, em especial da máscara, oriundos maioritariamente da Península Ibérica, “encantando a cidade de Lisboa pela sua riqueza histórica, cultural e artística”, apresenta o Turismo de Lisboa.
Organizado pela Progestur em parceria com a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), Câmara Municipal de Lisboa e Fundação Inatel, o Festival Internacional da Máscara Ibérica (FIMI) acontece desde 2006 para promover vários aspetos da cultura popular, tendo sempre como tema central, a máscara.
Esse ano, o evento volta a dar destaque à ancestral tradição dos rituais da máscara e conta com caretos, foliões e mascarados.
A programação inclui workshops, exposições, danças, concertos, mostras de produtos regionais, ateliês de artesanato e animação de rua promovida por grupos de Portugal, Espanha, China, Colômbia, Hungria, País de Gales, Sardenha e Uruguai.
O ponto alto da folia é sempre o Grande Desfile da Máscara Ibérica que se realiza no dia 18 de Maio (sábado), a partir das 16h30.
Segundo a organização, está já garantida a participação “de mais de 45 grupos de máscaras e mais de 650 participantes” que durante 2 horas, realizam um percurso, em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, “em constante interatividade com o público”.
“Para além dos fantásticos grupos portugueses e espanhóis, também estarão presentes em Belém vários grupos de máscaras não ibéricos, representantes de alguns países da Europa, Ásia e América do Sul”, revela.

Festival Internacional da Máscara Ibérica

Música no Palco Ibérico

A música está garantida no Palco Ibérico, nas noites de sexta e sábado (17 e 18 de maio), das 21h às 22h, e na tarde de domingo, às 17h. Haverá concertos de música folk com elementos de fusão, dando a conhecer ao público diferentes sonoridades.
Outro destaque da programação é a ‘Mostra das Regiões’. Nesta 14ª edição do FIMI, os stands dos municípios de Figueira de Castelo Rodrigo, Miranda do Douro, Mogadouro, Valongo, Vinhais, do lado português, e Cáceres, Oviedo, Tinéu e Zamora, de Espanha, vão divulgar as suas histórias, património cultural e natural, as origens das suas máscaras, entre muitos outras atrativos.
Haverá ainda espaço para um concurso de fotografia que antecipa cada edição do Festival Internacional da Máscara Ibérica. O público é convidado a registar várias imagens ao longo do Grande Desfile da Máscara Ibérica e a partilha-las através da participação no Concurso de Fotografia.
A entrada para o FIMI é gratuita. O acesso pode ser feito de carro pela A5, que liga Lisboa a Cascais (sempre à beira mar/rio) e passa pela zona de Belém. Quem vier da linha de Cascais pode ainda ir de comboio. Se entrar numa das estações antes de Oeiras, deve fazer aí a troca para o comboio que sai de Oeiras – esse é o que para na estação de Belém.
De Lisboa, para além do carro (pela A5) ou o comboio, com partida do cais do Sodré (terá que ser o que se destina a Oeiras), pode ainda apanhar o eléctrico 15 ou o autocarro 729.
A programação do Festival Internacional da Máscara Ibérica está disponível em http://www.fimi.pt/programa_pt.html

Ana Grácio Pinto

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.