Estudo aponta que a automação vai reduzir 240 mil postos de trabalho na zona Centro em 10 anos

Data:

A zona Centro de Portugal vai concentrar 22% dos postos de trabalho que vão ser destruídos na próxima década devido à automação, num total de 240 mil, o que criará a necessidade de requalificação de 134 mil trabalhadores.
De acordo com um estudo que a CIP – Confederação Empresarial de Portugal apresenta hoje em Leiria, o impacto da automação no mercado de trabalho será proporcionalmente mais forte na zona Centro do país, porque a estrutura económica está mais concentrada nos setores que vão ser mais afetados pela automação.
É na zona Centro que estão localizados 26,5% e 27% da atividade agrícola e da manufatura, respetivamente.
“Na zona Centro, 240 mil postos de trabalhos serão perdidos devido à automação até 2030 (…). No entanto, 130 mil postos de trabalho também serão criados na zona Centro devido à automação e ao crescimento por esta gerado”, refere o estudo que a CIP vai apresentar numa conferência sobre “O Futuro do Trabalho em Portugal – O Impacto na Zona Centro”.
As indústrias mais afetadas na zona Centro, que concentra 20% da força de trabalho do país, serão as dos produtos de plástico, borracha e metálicos e as de alimentos, bebidas e tabaco.
No estudo é defendido que cerca de 134 mil trabalhadores na zona em análise necessitarão de se requalificar para terem emprego em 2030.
Relativamente aos setores com maior impacto, é referido que a força de trabalho na agricultura é mais velha e com menor escolaridade do que a média europeia, “o que cria desafios adicionais para a requalificação”.
A força de trabalho na manufatura tem menor escolaridade, mas é mais jovem em relação à média europeia.
O estudo salienta ainda o elevado retorno do investimento na requalificação dos trabalhadores, tanto para os próprios como para a sociedade.
A análise regional resultou de um protocolo de colaboração entre a CIP e a NOVA School of Business and Economics e é um trabalho realizado na sequência de um estudo nacional divulgado pela CIP em janeiro, sobre o impacto da automação no futuro do trabalho.
Segundo o estudo de âmbito nacional, a adoção da automação em Portugal pode levar à perda de 1,1 milhões de empregos na indústria e comércio até 2030, mas criar outros tantos na saúde, assistência social, ciência, profissões técnicas e construção.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.