Câmara da Praia da Vitória adquire terrenos do bairro ilegal de Santa Rita

Data:

A Câmara Municipal da Praia da Vitória, na Ilha terceira, Açores, adquiriu os terrenos onde está instalado o bairro ilegal de Santa Rita.
O bairro tem cerca de 100 habitações, que a autarquia da Praia da Vitória pretende vender aos moradores.
“Depois de duas décadas de processo em tribunal, chegamos a um momento fundamental em que os terrenos estão na posse da câmara municipal”, revelou o presidente do município da Praia da Vitória, Tibério Dinis.
Em causa está um bairro construído na década de 1950, em terrenos alugados, para acolher militares norte-americanos colocados na base das Lajes, na Praia da Vitória, numa altura em que o parque habitacional da ilha Terceira tinha uma capacidade limitada.
Na década de 1990, as casas foram vendidas a portugueses, mas os terrenos nunca chegaram a ser comprados e o diferendo entre moradores e proprietários arrastou-se nos tribunais durante anos.
Desde 2003, que a maioria dos moradores deixou de pagar rendas, segundo dizem, por recomendação da câmara municipal, o que motivou vários despejos, um em 2015 e outros 13 em 2018.
Em setembro do ano passado, a Câmara Municipal da Praia da Vitória chegou a acordo com os proprietários para adquirir os terrenos por quatro milhões de euros, em quatro anos, vendendo-os posteriormente aos moradores.
No final do ano, as 13 famílias despejadas regressaram às habitações, com autorização da autarquia.
A primeira prestação de 1,1 milhões de euros, que obrigou a autarquia a contrair um empréstimo de curta duração, foi paga ontem, sexta-feira, ficando a faltar outras três, até 2022.
Segundo Tibério Dinis, o município vai agora iniciar um processo de loteamento e de legalização das habitações, “com a maior celeridade possível”, para poder depois vender os terrenos aos moradores.
“Um processo de loteamento de 100 habitações não é algo que se consiga de um dia para o outro, é um processo bastante complexo do ponto de vista do ordenamento do território, ainda para mais é preciso fazer os projetos de cada uma das habitações para as legalizar”, ressalvou, não avançando com uma data para o início da venda.

Legalização do Bairro das Pedreiras

Os termos em que será feita a venda dos terrenos terá também de ser regulamentada e aprovada em assembleia municipal.
“Espero, ainda este ano, apresentar esta documentação em sede de assembleia municipal, de forma a que fiquem bastante claros e transparentes todos os critérios”, afirmou o autarca, acrescentando que será cobrado um “preço justo” de acordo com os “valores praticados no mercado”.
Tibério Dinis assumiu que a Câmara Municipal “dará início, ainda este ano, também, aos procedimentos administrativos visando a legalização de uma outra zona de habitação ilegal, junto ao Baldio de São Brás”.
Em setembro do ano passado, o autarca da Praia da Vitória assinou outra escritura de aquisição de terrenos com construções ilegais.
Foi a área urbana do Bairro das Pedreiras, na Vila das Lajes. “No total estamos a falar de uma área urbana com 14 lotes, numa área total de intervenção de 6512 metros quadrados. Este processo teve o seu início há cerca de nove anos atrás, a 28 de maio de 2009, e agora, felizmente, com a aquisição efetiva dos terrenos pela Câmara Municipal da Praia terá a sua situação legalizada”, afirmou Tibério Dinis na altura.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.