Porto será a capital mundial da inovação com competição mundial de programação universitária

Data:

A Universidade do Porto é o destino este ano da final mundial do ‘International Collegiate Programming Contest’, a maior e mais antiga competição de programação universitária do mundo.

Realizado no formato atual desde 1977, o ‘International Collegiate Programming Contest’ (ICPC) coloca frente-a-frente alguns dos mais notáveis jovens programadores de universidades de todo o mundo, que este ano terão Portugal e a Universidade do Porto como anfitriões, a 4 de abril.
No âmbito desta que é a maior e mais antiga competição de programação universitária do mundo, a Universidade do Porto dinamiza, entre 1 e 6 de abril, outras atividades que vão transformar a cidade Invicta numa “autêntica capital mundial da tecnologia e da inovação, em resultado de um amplo leque de iniciativas à espera de todos os participantes e possíveis interessados”, informa a Universidade do Porto.
Uma competição de programação organizada pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), a edição 2019 das Olimpíadas Nacionais de Informática, uma hackathon, encontros privilegiados entre grandes empresas e jovens empreendedores, conferências sobre o futuro da tecnologia e debates sobre o mercado único são algumas atividades do programa de eventos, a decorrer na Alfândega do Porto (Rua Nova da Alfândega) e no Porto Innovation Hub (Largo do Dr. Tito Fontes 15).
No dia 1 de abril, arranca na Alfândega do Porto a ‘Start & Scale Week’, uma iniciativa da ScaleUp Porto, focada na “promoção da inovação, do empreendedorismo e da tecnologia”.
O ponto de partida é uma conferência com o título ‘Developing skills for the future tech industry’, mote para que convidados nacionais e internacionais discutam sobre como novas gerações vão influenciar o futuro da tecnologia, explica a Universidade do Porto numa nota de imprensa.
A entrada é livre mediante inscrição prévia em https://www.eventbrite.com/e/developing-skills-for-the-future-tech-industry-tickets-57270102418.

Universidade do Porto
O ICPC coloca frente-a-frente alguns dos mais notáveis jovens programadores de universidades de todo o mundo. Este ano terão Portugal e a Universidade do Porto como anfitriões, a 4 de abril

Olimpíadas de Informática e uma maratona de programação

Ao longo do primeiro dia de abril, vão também decorrer na Alfândega do Porto as Olimpíadas Nacionais de Informática 2019 (http://oni.dcc.fc.up.pt/2019/), uma competição coorganizada pela FCUP e que visa “promover o gosto pela programação e pelas tecnologias de informação” em jovens do ensino secundário, através da resolução de problemas “com recurso às linguagens C, C++, Pascal ou Java.
Os quatro mais talentosos jovens informáticos vão poder representar Portugal nas ‘Internacional Computing Olympiads’, que se realizam em Agosto, no Azerbaijão.
O dia 3 de abril será preenchido com uma maratona de programação: uma hackathon. O ‘Hackacity Porto’, que conta com o apoio da FCUP, é um evento de big data que vai desafiar os participantes a recorrer ao volume de dados gerados pela cidade do Porto e a usá-los para “criar instrumentos, análises e modelos” que ofereçam soluções práticas e permitam melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.
Uma prova aberta a todos, mas com inscrição prévia em https://hackacity.eu/porto/.
Em paralelo, e no mesmo dia, acontece um novo torneio de programação, o ‘ToPAS’, destinado a estudantes do ensino secundário numa iniciativa do Departamento de Ciência de Computadores (DCC) da Faculdade de Ciências da U.Porto.
Ainda neste dia, as conferências ‘Start & Scale’ propõem uma reflexão sobre cibersegurança. A participação é gratuita e tem inscrição prévia em https://topas.dcc.fc.up.pt/.
O dia seguinte é o da grande final mundial do ‘International Collegiate Programming Contest’. Mas em paralelo prosseguirá o programa da ‘Start & Scale Week’, com encontros entre startups e grandes empresas.
A 5 de abril regressam as conferências. No Porto Innovation Hub, “e através de contato pessoal direto com pessoas da área, os participantes vão ter a possibilidade de aprender diferentes formas de financiar a sua empresa”, explica a nota da UPorto.
A entrada é livre, mas exige inscrição prévia em https://www.eventbrite.com/e/demystifying-funding-tickets-57285028061.
Esta semana dedicada à tecnologia e à inovação fecha com a conferência ‘Scaleup for Europe – There’s a Market in cities’, que terá também lugar no Porto Innovation Hub. Os desafios e as oportunidades de um mundo cada vez mais urbano suscitam a questão que é colocada aos participantes do ‘Scaleup for Europe’: “Como poderemos nós trabalhar juntos, fazer negócios e melhorar a qualidade de vida das cidades?”.
A agenda para este dia divide-se por vários pontos de discussão, que incluem debates sobre a possível necessidade de grandes empresas, startups e cidades colaborarem, o mercado único digital, ou a concepção da cidade como um “hub de oportunidades”.
A entrada é também livre e a inscrição está disponível em https://www.eventbrite.com/e/scaleup-for-europe-conference-theres-a-market-in-cities-tickets-57658479063.

Ana Grácio Pinto

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.