A Fonte da Tecnologia: Silicon Valley

Data:

A atual geração é a que está mais habilitada para lidar com o ‘boom tecnológico’, sendo difícil de prever o impacto que terá na população mundial o inacreditável salto em inovação tecnológica dos últimos anos. O criador da máquina (o homem), nunca poderá perder o total domínio sobre ela, para que a nossa espécie não seja levada à extinção. Não tenho qualquer dúvida de que a esmagadora maioria dos utilizadores das novas tecnologias de ponta não fazem a mínima ideia onde elas tiveram a sua origem.
Silicon Valley (Vale do Silício) está situado na proximidade da Baía de São Francisco, na Califórnia, numa região onde existem grandes cidades como San José, que é a segunda maior no estado da Califórnia, Palo Alto e Santa Clara, conhecida pela abundância do minério utilizado na pesquisa e manufatura de circuitos integrados de silício, que no século XX transformou a área num centro de alta tecnologia. Muitas das empresas que iniciaram a sua atividade naquele local, atingiram o estatuto de startups e muitas delas foram incluídas na lista ‘500’ da (revista) Fortune.
O prestígio de Silicon Valley apenas tem uma sombra em todo o mundo: a Silicon Wadi, em Israel, que é a segunda maior aglomeração de indústrias de tecnologia de ponta. Não me chegaria um livro de 1000 páginas para descrever a fantástica história de Silicon Valley, com todos os sucessos e desilusões de empresas e pessoas, que deram vida à mais famosa fonte do conhecimento em tecnologia. Muitos dos avanços tecnológicos foram utilizados para fins militares e para a corrida espacial que culminou com a chegada do homem à Lua. Posteriormente e já nas décadas de 80/90, por determinação dos mercados, muitos dos investimentos em Silicon Valley deslocalizaram a sua produção para países como a China e a India que se transformaram em colossos da microtecnologia, mas que tiveram a sua fonte em Silicon Valley. Não vou seguir a cronologia dos grandes acontecimentos que foram notícia mundial, referindo apenas aquelas descobertas que interferiram nas nossas vidas.

“Em 1947 três engenheiros da AT&T – John Bardeen, William Shockley e Walter Brattain – demonstraram com sucesso o processo de amplificar um sinal elétrico utilizando material semicondutor sólido; com a passagem de corrente através do silício, tinham acabado de descobrir o transístor. Estes três cientistas de Silicon Valley ganharam o prémio Nobel da Física em 1956”

 

Os humanos transformaram-se em manipuladores da física, utilizando os recursos do Planeta em que vivem para chegarem ao vértice de uma civilização tecnológica como está a acontecer; existindo uma forte probabilidade, de podermos ser os primeiros a ter meios para contactar uma possível civilização tecnológica extraterrestre numa zona periférica do nosso habitat o planeta Terra, localizado na galáxia por nós designada de Via Látea – uma das 200 biliões que nós astrónomos acreditamos existir. A ciência de topo, está há muito tempo a trabalhar nesse objetivo. Em 1947 três engenheiros da AT&T – John Bardeen, William Shockley e Walter Brattain – demonstraram com sucesso o processo de amplificar um sinal elétrico utilizando material semicondutor sólido; com a passagem de corrente através do silício, tinham acabado de descobrir o transístor. Estes três cientistas de Silicon Valley ganharam o prémio Nobel da Física em 1956.
Foi em 1959 que Robert Noyce inventou na Fairchild Semiconductor, o primeiro circuito integrado capaz de ser produzido comercialmente. Esta peça desenvolvida por Noyce consistia num circuito eletrónico completo dentro de um chip de silício. A invenção revolucionou a indústria eletrónica em Silicon Valley e mudou a vida de toda a população mundial.
No início dos anos 70, os entusiastas da eletrónica passaram a comprar os componentes de eletrónica em lojas e realizavam encontros no Homebrew Computer Club: um local de referência onde Steve Wozniak e Steve Jobs apresentaram pela primeira vez o computador que se havia de tornar no Apple I.
Mas a indústria do computador pessoal só arrancou verdadeiramente em 1977, com a chegada ao mercado de três computadores que iriam ser produzidos em massa: O Apple II de uma pequena empresa INC, o Tandy Radio Shack TRS-80 e o Commodore PET, tendo o TRS ao tempo dominado o mercado. Como nota, no dia 1 de outubro de 1891 foi dado o tiro de partida para aquele que viria a ser o mais famoso parque tecnológico de todos os tempos, com a fundação da Universidade Stanford no Silicon Valley, em Santa Clara, Califórnia, contando no início com 440 estudantes dos quais 110 eram mulheres.
A televisão, transmissores, computadores e outros meios tecnológicos de ponta que levaram o primeiro ser humano à Lua e alimentam de magia e deslumbramento a atual e as seguintes gerações, tiveram a sua origem em Silicon Valley. Que será sempre uma referência da comunidade científica mundial, como tendo sido o local que abriu caminho ao homem para um dia nos levar até às estrelas mais próximas em busca de um planeta para podermos colocar a salvo a nossa espécie, quando a Terra deixar de nos dar as condições de sobrevivência.
A Louis Pauwels e Jacques Bergier, que nas décadas de 50 e 60 escreveram o ‘Homem Eterno’ e ‘Despertar dos Mágicos’.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.