NRP Setúbal é o mais recente navio da Marinha

Data:

Realizou-se , dia 28 de dezembro, a cerimónia de aumento ao efetivo, passagem ao estado de armamento e entrega de comando do NRP Setúbal, nos Estaleiros da West Sea, em Viana do Castelo.
A cerimónia foi presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, almirante António Mendes Calado, e realizou-se perante a guarnição de 44 elementos.
O NRP Setúbal, que foi  aumentado ao efetivo dos navios da Marinha, é o quarto navio da classe “Viana do Castelo”, todos construídos em Portugal. O NRP Setúbal junta-se assim ao NRP Viana do Castelo, NRP Figueira da Foz e NRP Sines, atualmente no ativo. Estes navios vêm substituir as corvetas com mais de 40 anos.

O Comandante Rui Zambujo Madeira, pertence à classe de Marinha, é mergulhador de especialização, tem 42 anos e é natural de Lisboa, tendo ingressado na Marinha em 1994.

Ao longo da sua carreira já realizou diversas missões nacionais e internacionais. O comandante Zambujo Madeira foi o último comandante do NRP Jacinto Cândido, navio que passou ao estado de desarmamento no dia 15 de novembro de 2018.

Share post:

Popular

Nóticias Relacionads
RELACIONADAS

Compal lança nova gama Vital Bom Dia!

Disponível em três sabores: Frutos Vermelhos Aveia e Canela, Frutos Tropicais Chia e Alfarroba e Frutos Amarelos Chia e Curcuma estão disponíveis nos formatos Tetra Pak 1L, Tetra Pak 0,33L e ainda no formato garrafa de vidro 0,20L.

Super Bock lança edição limitada que celebra as relações de amizade mais autênticas

São dez rótulos numa edição limitada da Super Bock no âmbito da campanha “Para amigos amigos, uma cerveja cerveja”

Exportações de vinhos para Angola crescem 20% desde o início do ano

As exportações de vinho para Angola cresceram 20% entre janeiro e abril deste ano, revelou o presidente da ViniPortugal, mostrando-se otimista quanto à recuperação neste mercado, face à melhoria da economia.

Área de arroz recua 5% e produção de batata, cereais, cereja e pêssego cai 10% a 15%

A área de arroz deverá diminuir 5% este ano face ao anterior, enquanto a área de batata e a produtividade dos cereais de outono-inverno, da cereja e do pêssego deverão recuar 10% a 15%, informou o INE.